Bolsa sobe à espera de anúncio do pacote nos EUA

Bolsa sobe 1,52%. O dólar comercial é vendido a R$ 1,7780, em baixa de 0,50%.

Agência Estado,

18 de janeiro de 2008 | 12h46

Após três pregões consecutivos de fortes quedas, que ampliaram para 10,72% as perdas acumuladas no mês, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta. Os negócios no Brasil seguem o alívio das bolsas internacionais, sustentadas pela expectativa que envolve o anúncio pelo presidente George W. Bush de um plano de estímulo econômico de curto prazo nos EUA. Às 12h40, O Ibovespa - que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - sobe 1,52%. O dólar comercial é vendido a R$ 1,7780, em baixa de 0,50%.   Veja também: Desaceleração nos EUA terá impacto em emergentes, diz Bird Plano de estímulo nos EUA deve trazer restituição fiscal 'The Economist' destaca situação favorável do Brasil Entenda a origem da crise nos EUA     Bush não deve se aprofundar nos detalhes. No entanto, conforme informou o Wall Street Journal, a Casa Branca tem defendido medidas como uma contribuição de US$ 800 para contribuintes individuais e de US$ 1.600 para famílias. Os valores correspondem a mais do que o dobro da restituição de 2001, quando foram oferecidos para indivíduos e famílias US$ 300 e US$ 600, respectivamente.   Na Ásia, as bolsas mostraram reação nesta sexta-feira apoiadas na expectativa do pacote nos EUA. Esse também é a principal justificativa para a correção exibida pelas bolsas européias e norte-americanas. Mas também está repercutindo bem os balanços da IBM, divulgado ontem à noite, e o da General Eletric, que saiu hoje cedo. Segundo analistas, o bom resultado apresentado pelas duas companhias sinalizam que os problemas estão mais restritos ao setor financeiro.   Embora os problemas vividos pelo setor financeiro afetem o crédito de maneira geral, o fato de as empresas não estarem apresentando prejuízo pode ser interpretado deve ser visto um bom sinal.   A GE anunciou mais cedo crescimento de 4% no lucro líquido no quarto trimestre de 2007, para US$ 6,7 bilhões (US$ 0,66 por ação). Já a IBM informou um lucro líquido de US$ 3,95 bilhões (US$ 2,80 por ação) no quarto trimestre, um aumento de 12% sobre igual período do ano passado e fez previsões de lucros e vendas maiores em 2008.   Apesar dessa expectativa positiva com o pacote nos EUA, a avaliação no mercado é de que esse pacote não trará a salvação. Na Bovespa, preocupa a constante saída de capital estrangeiro. Há informações de que a Bovespa teve forte saída de cerca de R$ 1 bilhão em capital externo no dia 16, quando o Ibovespa caiu 1,89%, para 58.777 pontos. Caso essa retirada se confirme, o saldo negativo de capital externo em 2008 na Bolsa sobe para R$ 3,3 bilhões, destaca a editora Aline Cury Zampieri.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.