Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsa sobe com alta de commodities

Avanço de cotações do petróleo, que bateu recorde, e metais favorece papéis da Petrobrás e Vale do Rio Doce

Claudia Violante, , Denise Abarca, , Paula Laier, O Estadao de S.Paulo

07 de novembro de 2007 | 00h00

Os preços das commodities tiveram ontem forte alta, o que resultou em ganhos para a Bovespa, graças ao desempenho dos papéis da Petrobrás e Vale do Rio Doce. O Ibovespa avançou 2,45%, para 64.503,4 pontos. As ações da estatal valorizaram-se na esteira do comportamento do petróleo, cuja cotação foi recorde em Nova York, a US$ 96,70 (+2,89%), tendo superado US$ 97 na máxima do dia. Os juros caíram com os sinais de acomodação da indústria vistos nos dados do IBGE, mas não chegaram a otimizar a perspectiva para a retomada do processo de queda da Selic. O contrato para janeiro de 2010 cedeu a 11,62%. Em Wall Street, as bolsas fecharam positivas. No câmbio, o alívio externo levou o dólar para baixo e, na mínima, chegou a furar a barreira de R$ 1,73. Recuou 0,74% no balcão, a R$ 1,736, e 0,86% na BM&F, para R$ 1,734.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.