Bolsa sobe com Petrobrás, Vale e NY

Juros ajustam-se à avaliação unânime de que o Copom começa, hoje, o processo de aperto monetário no País

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

16 de abril de 2008 | 00h00

A recuperação das bolsas internacionais com o balanço positivo da Johnson & Johnson e os indicadores dos EUA melhores do que o esperado em meio à demanda por ações de Petrobrás e Vale sustentaram a alta da Bovespa, após duas quedas. Apesar de a petrolífera não ter confirmado o potencial da área Pão de Açúcar, investidores retardatários se interessaram pelo papel da companhia, que também ganhou impulso do recorde do petróleo. No fim da sessão, o Ibovespa subiu 0,75% (62.618,4 pontos), elevando para 2,71% o ganho no mês. No ano, porém, a queda é de 1,98%. Nos juros, os dados de vendas no varejo do IBGE dentro do esperado não alteraram a avaliação unânime de que o Copom elevará, hoje, a taxa Selic, que está em 11,25%. Por isso, o juro de julho de 2008 subiu a 11,63%, e a taxa de janeiro de 2010, para 13,28%. O dólar à vista caiu 0,24%, a R$ 1,683.FRASEStephen KingEcon.-chefe no Grupo HSBC, ao AE Broadcast Ao Vivo{TEXT}''Emergentes devem ter PIB forte em 2008 e desenvolvidos,fraco. Crescem riscos de recessão no Reino Unido''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.