Bolsa sobe forte e juros futuros recuam mais

Os avanços do governo no processo de votação da reforma tributária, a melhora do mercado em Nova York e a pesquisa CNT/Sensus impulsionaram os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) hoje. O Ibovespa ? índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bovespa - fechou em alta forte de 2,79% e o volume financeiro voltou a subir, totalizando R$ 963 milhões.O índice atingiu o maior nível de pontos desde 15 de junho de 2001. Segundo a editora Aline Cury Zampieri, o principal indicador da Bovespa terminou a terça-feira em 14.877 pontos, ante 14.985 pontos daquela data. No mercado de juros futuros, os contratos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com vencimento em janeiro de 2004, encerram o dia com taxa de 20,090% ao ano, frente a 20,250% ao ano negociados ontem. O dólar comercial fechou em queda de 0,23%, cotado a R$ 2,9880 na ponta de venda dos negócios.O risco Brasil ? taxa que mede a confiança dos investidores estrangeiros na capacidade de pagamento da dívida do país ? caiu abaixo de 700 pontos. Já os C-Bonds ? principais papéis da dívida brasileira negociados no exterior ? encerrou o dia cotado a 90,500 centavos por dólar, em alta de 0,75% em relação ao patamar de fechamento ontem.Em Nova York, depois de uma abertura em queda, o Dow Jones ? índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque ? fechou em alta de 0,24% e a Nasdaq ? bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet ? subiu 0,36%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.