Bolsa sobe, mas não retoma 50 mil

Alta de 0,64% eleva pontuação para 49.813,58 pontos; queda em junho é de 6,36%; dólar cai 2,08%, a R$ 1,982

Claudia Violante, Silvana Rocha e Alessandra Taraborelli, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2009 | 00h00

A volatilidade substituiu, ontem, o sinal negativo da véspera na Bovespa, que subiu 0,64%, amparada nos preços das commodities. Ainda assim, o índice paulista permaneceu abaixo dos 50 mil pontos (aos 49.813,58 pontos) e a perda acumulada em junho é de 6,36%.As ações da Vale, Petrobrás e siderúrgicas foram destaques de alta. O volume de negócios elevou-se para R$ 6,988 bilhões em meio à Oferta Pública de Aquisição (OPA) das ações ordinárias da Brasil Telecom Participações e da Brasil Telecom. A expectativa é de que as vendas de papéis da Visanet, BR Malls e HyperMarcas, entre outras, sigam sustentado a liquidez. Em Nova York, o índice Dow Jones caiu 0,19% e o Nasdaq, 0,07%. O dólar devolveu quase todo o ganho da véspera e voltou a ficar abaixo de R$ 2, refletindo uma antecipação de vendas de moeda dada a previsão de fortes ingressos de recursos de investidores estrangeiros destinados a essas ofertas de ações. Só a operação da Visanet poderá somar cerca de R$ 10 bilhões. O dólar cedeu 2,08%, a R$ 1,982 no balcão. Os juros futuros permaneceram em queda com a percepção de recuperação econômica lenta. A taxa de janeiro de 2010 recuou a 8,79%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.