bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Bolsa tem 4ª queda consecutiva

Índice paulista recua 5,27% no período; dólar e juros futuros sobem, pressionados pelo cenário externo ruim

Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

13 de fevereiro de 2009 | 00h00

As incertezas em relação à eficácia dos planos de estímulo fiscal e financeiro nos Estados Unidos elevaram a aversão ao risco nos mercados, ontem. As bolsas de valores exibiram forte volatilidade, enquanto o dólar e os juros no mercado futuro local subiram. A Bovespa, após recuar até 2,09% no pior momento, encerrou com perda menor, de 0,84%, aos 40.500,79 pontos. Nas quatro sessões anteriores, o Ibovespa perdeu 5,27%. A recuperação parcial no fim da sessão de ontem foi amparada em compras técnicas, uma vez que o Ibovespa e as blue chips Vale e Petrobrás teriam atingido pontos de suporte atraentes a compras. Em Wall Street, depois de cair até 3,09%, o índice Dow Jones terminou em baixa de 0,09%. O mercado de câmbio teve fluxo positivo, que garantiu a queda do dólar à vista, para R$ 2,288 (-0,09%) no balcão, após avançar 2,37% nas duas sessões anteriores. Contudo, no mercado futuro, o dólar para março/09 fechou na cotação máxima, em alta de 1,87%, a R$ 2,318, pressionado pela valorização da moeda americana no exterior. Os juros futuros também subiram com o cenário externo ruim em meio aos leilões de títulos prefixados do Tesouro. A taxa de janeiro de 2010 avançou a 11,17%.FRASEGustavo LoyolaEx-pres. do Banco Central ao AE Broadcast Ao Vivo"Dúvida é preço pelo qual ativos tóxicos serão retirados de bancos nos EUA. Se for alto, subsídio pode ser muito elevado. Se for baixo, pode agravar situação"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.