finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsa tem ligeira recuperação em outubro

Os investidores que aproveitaram o preço defasado para comprar ações negociadas em Bolsa viram o investimento registrar a maior rentabilidade no mês de outubro. No entanto, no acumulado do ano, o preço das ações está desvalorizado em -25,53%, segundo dados do ranking de aplicações financeiras realizado pela Agência Estado. Ao contrário do que vinha sendo observado, o mercado acionário acenou com uma certa recuperação em outubro. O Ibovespa, índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) teve alta de 6,85%. Já o dólar, que foi pelos últimos meses a melhor aplicação, fechou o mês com um ganho de 1,34% pela cotação do dólar oficial do Banco Central, e 1,08% no paralelo. Nos fundos cambiais, que pagam uma taxa de juros prefixada mais a variação da cotação da moeda norte-americana, a rentabilidade ficou em 1,13%. No ano, porém, os resultados invertem-se. A bolsa acumula uma queda de -25,53%, enquanto as aplicações atreladas ao dólar renderam 38,44%, 30,42% e 46,79%, respectivamente para o dólar paralelo, oficial e fundo cambial.Renda FixaDentre os investimentos de renda fixa, os fundos DI - que acompanham a variação da taxa de juros negociada no mercado - foram os melhores no mês, apresentando uma rentabilidade de 1,57%, projetada a partir dos dados da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid). Os fundos de renda fixa - que pagam juros prefixados de títulos públicos federais - aparecem com uma ganho projetado de 1,47%; e, por fim, os CBDs de 30 dias para médias quantias registraram uma ganho de 1,44%. As cadernetas de poupança renderam 0,79% e o ouro, negociado na BM&F, fechou o mês com queda de 4,44%. No mesmo período, o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas, ficou em 1,18%.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2001 | 19h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.