Jim Lo Scalzo/EFE - 18/7/2019
Jim Lo Scalzo/EFE - 18/7/2019

Bolsa tem manhã de queda, mas mantém nível dos 104 mil pontos; dólar sobe

Moeda americana ganha força também no exterior em meio à discussão sobre corte de juros nos Estados Unidos ainda neste mês

O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2019 | 12h59

Principal índice da Bolsa de São Paulo, o Ibovespa teve uma manhã de queda nesta sexta-feira, 19, oscilando ao redor dos 104 mil pontos. O dólar se mantém em alta em relação ao real e também na comparação com divisas de países emergentes.

Às 12h54, o Ibovespa recuava 0,65%, chegando aos 104.040,88 pontos e o dólar era cotado a R$ 3,7401, com valorização de 0,30%.

Trump e o corte de juros

O movimento no câmbio tem relação com a discussão sobre o tamanho do corte de juros nos Estados Unidos, que é esperado já para o fim deste mês. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que os juros "muito mais altos" nos EUA se devem a "pensamento defeituoso" do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

As metas da nova chefia do BNDES

O novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, reafirmou as cinco metas de sua gestão, já colocadas no discurso de posse, em Brasília. "Explicar a caixa-preta" do BNDES será uma "meta zero" e os objetivos incluem acelerar a venda das participações acionárias, disse o executivo numa apresentação a funcionários do banco, no Rio.

Vale e bancos em alta na Bolsa

As ações ON da Vale e PN da Bradespar - importante acionista da mineradora - se destacaram entre as maiores altas do Ibovespa, com avanço de 1,15% e 1,00%, após o banco BTG recomendar elevar posições na mineradora e afirmar que a ação está no "nível mais barato da história".

Papéis de bancos caem depois que o ex-ministro Antonio Palocci afirmou em delação premiada que alguns dos principais bancos do País fizeram doações que somam R$ 50 milhões a campanhas do PT em troca de favorecimento nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.  Bradesco, Itaú Unibanco, BTG Pactual e Banco do Brasil recuam 1,33%, 1,69%, 0,72% e 0,36%, respectivamente. 

O banco Inter anunciou oferta (follow on) de ações units, que pode movimentar até R$ 1,27 bilhão, e os papéis tinham alta de 4,24% nesta manhã. / Karla Spotorno e Niviane Magalhães

 

Tudo o que sabemos sobre:
bolsa de valoresdólarDonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.