Bolsa tem recorde após plano nos EUA

Dólar e juros também reagem positivamente a anúncio de ajuda a mutuários de hipotecas de segunda linha

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

07 de dezembro de 2007 | 00h00

As Bolsas norte-americanas e a Bovespa ampliaram as altas, ontem, após o anúncio pelo governo dos EUA de um pacote de socorro aos mutuários de hipotecas de segunda linha. A principal medida foi o congelamento por cinco anos da taxa de juros desses contratos. Antes disso, o otimismo já predominava. O Banco Central da Inglaterra reduziu o juros em 0,25 ponto, a 5,50%, enquanto o Banco Central Europeu manteve sua taxa em 4%. Como o governo Bush confirmou as expectativas sobre congelamento de juros, os investidores compraram ações. A Bovespa subiu 1,33%, para recorde de 65.790,8 pontos. O dólar futuro de janeiro 2008 caiu 1,53%, a R$ 1,7705. A moeda à vista cedeu 1,22%, a R$ 1,775 na BM&F, e -1,17%, a R$ 1,776 no balcão. O juro janeiro 2010, que havia subido a 12,39% no mercado regular, caiu depois a 12,33% na sessão eletrônica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.