Bolsa vai operar com papéis da dívida de empresas

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) estuda a criação de mercado secundário para negociação de título de dívida corporativa. São os debêntures e commercial paper, papéis emitidos por empresas para tomar empréstimos no mercado financeiro. O objetivo é aumentar a liquidez - facilidade de negociação - desses títulos, que hoje são comercializados apenas no mercado de balcão. A representante da Bolsa, Maria Helena Santana, explica que o maior volume de negócios com esses papéis pode reduzir o custo de capital das empresas. Haverá um sistema próprio para negociação dos títulos privados. A tecnologia será a mesma utilizada para negociação de títulos nas bolsas da Argentina e Uruguai. Maria Helena ressaltou que, para que os negócios com debêntures sejam bem sucedidos, as companhias devem emitir papéis com características de fácil compreensão para o investidor. Quanto menor aengenharia financeira, melhor, afirmou. A Bovespa ainda está em contato com as companhias para difundir o conceito. O novo mercado deve começar a operar no final do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.