Bolsa: veja a carteira de ações da BAM

Júlio Ziegelmann, da BankBoston Asset Management (BAM), avalia que a escolha das ações com as melhores perspectivas de valorização deve ser feita com base na definição do cenário político. "Se a Presidência da República for ocupada por um candidato que vai romper com a linha do governo atual, o dólar pode subir mais, favorecendo as empresas exportadoras. Já um cenário oposto, com vitória do candidato alinhado com o atual modelo econômico, os papéis das empresas de telecomunicações podem apresentar valorização forte", avalia.Na composição de uma carteira ideal, portanto, Ziegelmann destaca papéis tanto com perfil defensivo, que podem ter ganho expressivo caso haja vitória de um candidato de oposição, quanto com perfil mais arriscado, cujo ganho deve ser mais atraente, caso vença um candidato que represente a não-ruptura do atual modelo econômico.Como ações com perfil defensivo, Ziegelmann indica as preferenciais (PN, sem direito a voto) da Caemi, as ordinárias (ON, com direito a voto) da Aracruz, e as preferenciais da Companhia Siderúrgica Tubarão. "São papéis de empresas exportadoras, com baixo endividamento e funcionam como hedge da carteira, caso haja uma alta do dólar." Como preço-alvo para essas ações, Ziegelmann estipula R$ 541, R$ 6 e R$ 34, respectivamente, o que projeta rendimento de 27,29%, 33,33% e 25,93% para essas ações. Também com perfil defensivo, o executivo da BAM destaca Perdigão PN e Coteminas PN, com estimativa de ganho de 61,97% e 55,26%, levando-se em contra o preço-alvo de R$ 23 e R$ 295, respectivamente.Como papéis não defensivos (ou mais agressivos), Ziegelmann aponta algumas algumas empresas de telecomunicações. São elas: Brasil Telecom Participações ON, Telemar Operacional PN e Tele Centro Oeste Celular PN. "As ações desse setor estão com preços extremamente baixos. Dificilmente terão desempenho pior do que as ações mais negociadas na Bolsa", explica. Para esses papéis, o executivo da BAM projeta ganho de 55,41%, 53,41% e 87,18%, respectivamente, levando-se em conta o preço-alvo de R$ 23, R$ 75 e R$ 7,30. Dentro desse perfil, Ziegelmann também aponta as ações preferenciais da Belgo, com preço-alvo de R$ 377, e perspectiva de rendimento de 62,50%.Veja nos links abaixo mais informações sobre o comportamento da Bolsa, a perspectiva para o investimento e as ações mais recomendadas por analistas.

Agencia Estado,

28 de junho de 2002 | 09h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.