R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Bolsas acentuam avanço e caminham para fechamento em alta

Investidores voltaram a olhar para setor após Bank of America anunciar que não precisará de ajuda do governo

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado

12 de março de 2009 | 17h10

Os índices do mercado de ações norte-americano operam em alta, impulsionados pelo avanço das empresas do setor financeiro, caminhando para o terceiro fechamento consecutivo em território positivo. Às 16h52 (de Brasília), o índice Dow Jones - que não registra três fechamentos em alta desde 28 de janeiro - subia 3,44%, para 7.168 pontos. O Nasdaq subia 3,89%, para 1.425 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 4,06%, para 750 pontos.

 

Veja também:

linkDe olho nos sintomas da crise econômica especial

linkDicionário da crise especial

linkLições de 29

linkComo o mundo reage à crise especial 

 

Os investidores voltaram a olhar para o setor financeiro hoje após o executivo-chefe do Bank of America, Ken Lewis, dizer que a instituição não precisará de mais auxílios do governo e terá lucro em 2009. Ele afirmou ainda que os bancos possuem "níveis de capital muito bons" e não estão em uma situação tão terrível quanto se imagina. As ações do BofA subiam 20%.

 

Os papéis do Citigroup e do JPMorgan, empresas que nesta semana afirmaram ter registrado lucro no primeiro bimestre de 2009, avançavam 6,4% e 13% respectivamente.

 

O otimismo dos executivos de bancos, no entanto, ainda encontrava oposição de alguns investidores mais céticos. Analistas ainda mostram cautela em relação à capacidade do mercado para manter os ganhos obtidos recentemente por conta das incertezas a respeito da economia e dos mercados de crédito.

 

"O fato de eles estarem operando com lucro por um período de dois meses é algo tranquilizador, mas - e este 'mas' é em letras maiúsculas - não saberemos até o final do trimestre quais serão as baixas contábeis envolvidas", disse Bob Johnson, analista do mercado de ações da Satuit Capital Management.

 

As ações da General Eletric seguiam em alta, avançando 13,55% depois de a agência Standard & Poor's ter diminuído a classificação de crédito da companhia para um patamar mais elevado do que o esperado pelo mercado.

 

A General Motors subia 16% depois de anunciar que os US$ 2 bilhões em fundos adicionais que pediu ao governo dos Estados Unidos até março não serão necessários no momento.

 

No setor de saúde, as ações da Pfizer ganhavam 9,46% após a companhia anunciar que encerrou a fase de testes da Sutent mais cedo por conta de "benefícios significativos" em pacientes com tumores no pâncreas. A Genentech avançava 1,96% depois de aceitar ser comprada pela Roche por US$ 95 a ação. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.