Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsas asiáticas avançam com aumento do apetite por risco

As bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta terça-feira, impulsionadas por expectativas de que os programas de estímulo de governos sustentarão a recuperação econômica, enquanto o dólar chegou ao menor nível em 15 meses diante da avaliação de que o juro nos Estados Unidos continuará perto de zero.

SUSAN FENTON, REUTERS

10 de novembro de 2009 | 07h42

Os negócios nas bolsas também foram sustentados pela alta de 2 por cento do Dow Jones na véspera, para o maior patamar em 13 meses.

A bolsa de TÓQUIO subiu 0,63 por cento, depois de devolver parte dos ganhos iniciais por conta da alta do iene, que reduziu a valorização de exportadores.

O índice MSCI que reúne mercados da Ásia-Pacífico com exceção do Japão operava em alta de 0,6 por cento, a 406 pontos, às 7h16 (horário de Brasília).

O apetite dos investidores por risco também favoreceu moedas da Ásia, forçando bancos centrais na região a intervir para conter a apreciação. Entre elas, esteve o won sul-coreano, que se aproximou da máxima em 13 meses a 1.155 por dólar.

O mercado de Hong Kong registrou o maior nível em duas semanas e montadoras chinesas receberam impulso de aumento das vendas de carros na China. Com isso, as ações da Qingling Motors dispararam quase 12 por cento e a Brilliance China avançou 8 por cento.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em entrevista à Reuters, afirmou que planeja discutir o iuan durante uma visita à China, na próxima semana.

"Me sinto confiante de que os Estados Unidos e a China poderão chegar a um amplo conjunto de políticas que encoraje o comércio, beneficie ambos os países e permita um crescimento econômico constante", afirmou Obama.

O iuan é foco recorrente nas disputas comerciais entre EUA e China. Críticos norte-americanos afirmam que a China mantém sua moeda desvalorizada para ganhar vantagem nas exportações, enquanto a China diz que o câmbio estável ajuda seus exportadores e promove estabilidade econômica global.

A bolsa de SEUL subiu 0,35 por cento, XANGAI se valorizou 0,10 por cento, HONG KONG teve ganho de 0,27 por cento e TAIWAN registrou ganho de 0,75 por cento.

CINGAPURA teve alta de 0,53 por cento e SYDNEY encerrou com valorização de 1,26 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.