Bolsas asiáticas despencam; pânico toma conta de investidores

Índice Nikkei, do Japão, encerrou a semana com queda de 24%; dólar atingiu a maior cotação em 14 meses

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

10 de outubro de 2008 | 07h09

Os principais mercados acionários da Ásia despencaram nesta sexta-feira, 10. O índice Nikkei, do Japão, encerrou a semana com queda acumulada de 24%, enquanto o dólar norte-americano se valorizou e atingiu a maior cotação em 14 meses frente a uma cesta de moedas. O pânico tomou conta dos investidores que avaliam que os esforços feitos até agora não foram suficientes para interromper o avanço do caos financeiro.  Veja também:Como o mundo reage à crise Após dois novos leilões do BC, dólar fecha em queda de 4,82% Variação do dólar supera queda das commodities na criseFMI age para garantir crédito a emergentesConfira as medidas já anunciadas pelo BC contra a criseEntenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise Entenda o pacote anticrise que passou no Senado dos EUA  A cronologia da crise financeira Veja como a crise econômica já afetou o Brasil Entenda a crise nos EUA O corte sincronizado de juros feito por diversos bancos centrais esta semana foi considerado com uma ação pequena e atrasada. Além disso, investidores duvidam que a reunião do grupo dos sete países mais desenvolvidos (G7), nesta sexta-feira, possa chegar a algo relevante para por fim à crise. O índice Nikkei, da bolsa de Tóquio, encerrou o pregão com uma queda de 9,6%, elevando para 24% as perdas da semana, mais do que o dobro do tombo registrado em 1987, na semana em que os mercados acionários ruíram pelo mundo. Os mercados japoneses estarão fechados na segunda-feira por conta de um feriado, o que acabou fazendo com que os investidores reduzissem suas posições. Além disse, a seguradora de capital fechado Yamato Life Insurance entrou com pedido de falência por causa da crise financeira, o que causou choque entre investidores, que pensavam que o setor financeiro asiático, em especial o japonês, estava relativamente estável, se comparado ao Europeu e ao norte-americano. O índice MSCI da região Ásia-Pacífico, excluindo o Japão, registrou desvalorização de 7%, atingindo o menor patamar em quatro anos. Somente nesta semana, o indicador amargou perda de 20 por cento. Em Hong Kong, o índice Hang Seng perdeu 8% de seu valor, chegando bem próximo ao menor patamar registrado em três anos. O valor de mercado das empresas listadas na bolsa local já foi reduzido em praticamente 50% desde o início deste ano. Na Coréia do Sul, o índice KOSPI perdeu 7,27% de seu valor. O governo da Indonésia resolveu manter o mercado de Jacarta fechado por mais um dia, depois de dois dias de suspensão dos negócios. Na Austrália, a bolsa de valores local fechou em queda de 8,3%, a maior queda diária em ao menos 16 anos. Na Nova Zelândia, o índice NZX-50 caiu 4,7%. O mercado acionário chinês também fechou no vermelho, mas o resultado, em comparação com as demais praças asiáticas acabou não sendo tão ruim. O índice da bolsa de Xangai encerrou o pregão da sexta-feira com queda de 3,57%. Na semana, a queda acumulada foi de 12,78%. O resultado foi favorecido por uma recuperação dos papéis de bancos, diante das expectativas de uma intervenção do governo no setor.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.