Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas asiáticas encerram 2010 com ganhos sólidos

As medidas de estímulo econômico adotadas pelo Federal Reserve neste ano, e as taxas de juros baixíssimas do Ocidente geraram uma inundação de capital em ativos de maior risco

Reuters,

31 de dezembro de 2010 | 08h42

A maioria das bolsas de valores asiáticas encerrou o ano com sólidos ganhos anuais nesta sexta-feira, 31, e mais avanços são esperados em 2011, mas preocupações sobre a economia dos Estados Unidos e a crise de dívida da Europa serão limitações para os investidores no ano que vem.

As medidas de estímulo econômico adotadas pelo Federal Reserve neste ano, e as taxas de juros baixíssimas do Ocidente geraram uma inundação de capital em ativos de maior risco, com a busca do investidor por lucros maiores.

Esses fluxos de capital têm como principal destino mercados emergentes como os da Ásia, impulsionando os preços das ações e prejudicando o dólar, enquanto dão força aos preços de petróleo, ouro e outras commodities, que atingiram máximas em vários anos.

O índice MSCI de bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 0,67% em meio a um volume fraco de negócios, com muitos mercados já fechados antes do feriado de ano-novo ou funcionando pela metade do dia.

Apesar da queda do início do ano devido a preocupações sobre a Europa e ao susto de novembro com o pacote de resgate à Irlanda, o índice asiático caminha para um ganho de 15% em 2010.

Ainda assim, o índice está 19% abaixo das máximas atingidas em 2007, antes da crise financeira global.

A alta dos mercados da região foi liderada pelo sudeste asiático, com o principal índice da Indonésia avançando 46%, e pela Coreia do Sul, onde a bolsa de Seul ganhou quase 22%, apesar das tensões com a Coreia do Norte no final do ano.

Embora a demanda voraz da China tenha elevado as perspectivas de crescimento mundial e os preços de commodities, a bolsa de Xangai caiu 15% por temores sobre as medidas de aperto monetário que o governo poderia tomar para impedir o superaquecimento da economia.

A queda de Xangai pressionou Hong Kong, que teve uma alta limitada de 5,3% no acumulado do ano.

Japão e Austrália também tiveram um desempenho pior, com o índice Nikkei da bolsa de Tóquio recuando 3% no ano, enquanto o iene valorizou-se 12% em relação ao dólar.

A bolsa de Sydney fechou 2010 em baixa de 2%, embora as ações de mineradoras tenham subido mais de 10% devido ao aumento das exportações para a China.  (KIM COGHILL)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.