finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsas asiáticas fecham em alta e Europa sobe com plano chinês

Megapacote de estímulo à economia chinesa prevê investimentos de US$ 586 bilhões nos próximos dois anos

Agência Estado,

10 de novembro de 2008 | 08h03

O grande plano de estímulo à economia anunciado pela China injeta ânimo nos mercados internacionais nesta segunda-feira, 10. Na Ásia, o maior ganho foi o da bolsa de Xangai, que subiu 7,27%. A bolsa de Tóquio também fechou com forte alta, ajudada em parte pela firmeza das cotações do dólar e do euro diante do iene. O índice Nikkei 225 avançou 498,43 pontos, ou 5,8%, para 9.081,43 pontos. Na Europa, os mercados operam no terreno positivo. Às 8 horas (de Brasília), as bolsas de Londres (+3,35%), Paris (+3,54%) e Frankfurt (+3,50%) avançavam.  Veja também:Presidente da China diz que pretende cooperar com ObamaSaiba os assuntos que serão discutidos no G-20 De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise Dicionário da crise  A China aprovou no último domingo um pacote de estímulo de 4 trilhões de iuans (586 bilhões de dólares) até 2010 para impulsionar a demanda doméstica. Os investimentos serão concentrados em infra-estrutura, meio ambiente, inovação tecnológica e reconstrução de regiões afetadas por desastres naturais. "O plano da China foi uma surpresa positiva", disse Tomochika Kitaoka, estrategista da corretora japonesa Mizuho Securities. O pacote chinês de US$ 586 bilhões em investimentos públicos ao longo de dois anos deve beneficiar principalmente ações que estavam excessivamente vendidas, como as das fabricantes de equipamentos para construção civil e das empresas de navegação, além das que são ligadas a commodities, como as do setor de siderurgia, segundo o estrategista. Ele acrescentou, porém, que o mercado deve permanecer volátil enquanto os investidores continuarem cautelosos em relação à saúde geral da economia global. Kitaoka previu que o Nikkei nesta semana oscilará entre os 8 mil e os 9.500 pontos. Em Hong Kong, a alta do índice Hang Seng chegou a +3,16%, ao aumentar 450,68 e se situar aos 14.694,10. Os outros mercados tiveram ganhos mais modestos. A Bolsa de Sydney fechou em alta de +1,33%; Seul +1,58%; Kuala Lumpur +0,94%; Cingapura +1,15%; Jacarta +0,42% e Manila +0,92%. Em uma semana relativamente fraca do ponto de vista de indicadores econômicos, a montagem da equipe de governo do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, ganha ainda mais importância. Para o mercado financeiro, a expectativa maior está relacionada à escolha do secretário do Tesouro, equivalente ao ministro da Fazenda no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.