Bolsas asiáticas fecham em baixa após alta do petróleo

Mercados de Cingapura, Jacarta, Tailândia e Malásia recuam após barril superar US$ 100

Carlos Mercuri, da Agência Estado,

20 de fevereiro de 2008 | 08h03

A Bolsa de Cingapura fechou em baixa, com realização de lucros, seguindo a trilha das demais bolsas asiáticas, que recuaram depois da alta dos preços do petróleo acima de US$ 100 o barril e também devido a novos temores sobre a crise no mercado global de crédito. O índice Straits Times cedeu 2,3% e fechou aos 3.026,83 pontos.   A maior queda do dia foi da companhia de navegação Neptune Orient Lines, que perdeu 8,2%, já que investidores temem que a alta do petróleo eleve os custos dos combustíveis dos navios. Os bancos também fecharam em baixa: DBS cedeu 2,5%, OCBC recuou 0,9% e UOB caiu 1,5%. ST Engineering teve baixa de 0,6%, apesar da notícia de que venceu contrato milionário para manter motores de aeronaves.   O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 0,8% e fechou aos 2.689,25 pontos, ante a alta do petróleo e a desvalorização de sua moeda (o que deve elevar os custos de importações de matérias-primas, motivo de preocupação de várias companhias).   A mineradora de níquel Antam cedeu 2,5%; a mineradora de carvão Bumi caiu 1,3% e sua rival Indo Tambangraya, 4,6%, devido a realização de lucros. A distribuidora de gás Gas Negara, no entanto, subiu 3,3% e a petrolífera Medco avançou 3,1% - ambas pela expectativa de que a alta do petróleo promova alta em seus lucros.   Na Tailândia, a alta dos preços do petróleo elevou as preocupações sobre a inflação e levantou questões sobre se um corte de juros pode ser implementado. O índice SET da Bolsa de Bangcoc caiu 1% e fechou aos 827,13 pontos. Entre as ações mais ativas, Siam Commercial Bank caiu 1,7%, Kasikornbank cedeu 2,2%, Bangkok Bank recuou 0,8%, Italian-Thai Development perdeu 4,9% e Land and Houses declinou 4,1%.   O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, recuou 0,7% e fechou aos 1.414,32 pontos. A queda também foi atribuída à alta do petróleo, além de preocupações de que a inflação possa desacelerar a velocidade de consumo, afetando a margem das empresas.   Entre as principais quedas, Telekom perdeu 3,5%, Commerce-Asset recuou 0,9% e Tenaga caiu 1%. Fecharam em alta IOI Corp (1,9%), motivada pela alta recorde dos preços do óleo de palma; DiGi (1,2%) e IJM (0,6%). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.