Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em queda

Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 1,7%, aos 5.218,9 pontos

30 de setembro de 2013 | 08h14

Os mercados de ações da Ásia fecharam majoritariamente em queda nesta segunda-feira, com preocupações sobre uma possível paralisação do governo dos Estados Unidos. Por outro lado, os pregões na China encerraram alta, puxados por papéis de empresas relacionadas a consumo, antes de um longo feriado que começa nesta terça-feira.

As negociações sobre o Orçamento dos Estados Unidos atingiram um impasse no fim de semana, quando os congressistas passaram a discutir sobre o financiamento que deverá ser usado para a lei de saúde do presidente norte-americano, Barack Obama. O Congresso deve aprovar um Orçamento antes de terça-feira para evitar uma paralisação parcial do governo federal, mas as dificuldades enfrentadas pelos líderes em Washington no fim de semana indicam que a aprovação ainda está longe de ser concluída.

Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 1,7%, aos 5.218,9 pontos, liquidando quase todos os ganhos conseguidos nas duas últimas semanas. Contudo, o índice conseguiu um avanço de 8,7% no trimestre.

Já o índice PSEi, da Bolsa de Manila, perdeu 3,0% nesta segunda-feira e encerrou aos 6.191,80 pontos, levando o índice a uma baixa de 4,2% no trimestre.

O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, cedeu 1,5% e terminou o pregão aos 22.859,86 pontos nesta segunda-feira. Em Seul, o índice Kospi caiu 0,7%, para 1.996,96 pontos. O índice Taiwan Weighted cedeu 0,7%, aos 8.173,87 pontos.

Na China, por outro lado, as ações de empresas relacionadas a consumo puxaram os índices para cima, antes de um longo feriado que começa nesta terça-feira. O índice Xangai Composto subiu 0,7%, para 2.174,67, encerrando o trimestre com uma alta de 9,9%. Já o índice Shenzhen Composto subiu 1,2% nesta segunda-feira, para 1.056,55 pontos.

No início da sessão, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) mostrou uma leve expansão do setor industrial da China. De acordo com dados do HSBC, o PMI industrial subiu para uma leitura final de 50,2 em setembro, ante 50,1 em agosto. Uma leitura abaixo de 50 indica contração da atividade industrial em relação ao mês anterior, enquanto uma leitura acima desta marca indica expansão.

O resultado não foi recebida pelos agentes do mercado com muito entusiasmo visto que o resultado preliminar do índice havia mostrado um avanço para 51,2 em setembro. "Os investidores estão pouco satisfeitos com o PMI industrial da China divulgado pelo HSBC, embora a atividade industrial da China permaneça em expansão. A maioria dos investidores está cauteloso para ver o que vai acontecer", disse Zeng Xianzhao analista do Everbright Securities. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.