Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bolsas asiáticas sobem animadas com dado de hipotecas nos EUA

As principais bolsas de valores asiáticas subiram nesta quinta-feira na expectativa de que uma alta nos pedidos de financiamentos imobiliários nos Estados Unidos ajude a consolidar a vacilante recuperação econômica.

SANJEEV MIGLANI, REUTERS

19 de agosto de 2010 | 08h01

Às 7h50 (horário de Brasília), o índice MSCI que acompanha as bolsas da região da Ásia Pacífico exceto Japão avançava 0,7 por cento, a 411 pontos, após um dia de ganhos em Wall Street.

Na bolsa de TÓQUIO, o Nikkei se valorizou 1,32 por cento, para 9.362 pontos. Ações do setor de consumo eram procuradas, refletindo o crescimento asiático mais forte em comparação a outras regiões.

O Nikkei também foi animado pela procura por papéis considerados baratos depois da queda da semana, mas a força recente do iene sobre o dólar conteve os ganhos.

"O Nikkei continua em um nível precário. Se os mercados nos Estados Unidos caírem mais por notícias negativas, o índice pode facilmente perder os 9 mil pontos", disse Kenichi Hirano, gestor na Tachibana Securities.

Os mercados vão procurar sinais sobre o rumo da economia nos dados de pedidos de auxílio-desemprego nos EUA. Na véspera, dados sobre as solicitações de hipotecas geraram expectativa de um maior crescimento.

Em HONG KONG, o índice Hang Seng subiu 0,24 por cento, para 21.072 pontos. XANGAI encerrou com alta de 0,81 por cento, a 2.687 pontos, enquanto TAIWAN teve variação positiva de 0,06 por cento, a 7.928 pontos.

Em SEUL, a bolsa subiu 1,0 por cento, para 1.779 pontos. Em SYDNEY, o mercado australiano registrou variação positiva de 0,09 por cento, aos 4.479 pontos.

CINGAPURA subiu 0,94 por cento, para 2.946 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.