Bolsas asiáticas têm forte queda por temor sobre Líbia

As bolsas de valores da Ásia fecharam em queda nesta terça-feira, com o mercado temendo as consequência dos conflitos na Líbia e migrando para investimentos mais seguros.

NICK MACFIE, REUTERS

22 de fevereiro de 2011 | 08h25

Os futuros do petróleo atingiram a máxima em dois anos e meio devido a preocupações de que a violência na Líbia reduza ainda mais a produção do membro da Opep, história que pode se repetir em outros importantes países produtores de petróleo no norte da África e no Oriente Médio.

O índice Nikkei 225, de Tóquio, fechou em baixa de 1,8 por cento, e o índice MSCI da região Ásia-Pacífico exceto o Japão perdia cerca de 2 por cento às 8h18 (horário de Brasília).

As ações de companhias aéreas asiáticas retrocederam com a alta do petróleo. A Korean Air Line liderou os declínios, caindo mais de 9 por cento. A Cathay Pacific Airways, de Hong Kong, caiu mais de 4 por cento, para a mínima em seis meses.

Grandes construtoras sul-coreanas também perderam com a paralisação dos projetos na Líbia. A ação da Hyundai E&C tombou mais de 9 por cento, enquanto a Daewoo Engineering & Construction recuou 6,3 por cento.

A agência de classificação de risco Moody's mudou de estável para negativa a perspectiva da nota de crédito "Aa2" do Japão, alertando que as políticas do governo podem não ser suficientes para controlar a dívida pública.

Em Xangai, o índice caiu 2,62 por cento. Em Taiwan, a queda foi de 1,87 por cento, enquanto o mercado de Hong Kong se depreciou 2,11 por cento e a bolsa de Seul caiu 1,76 por cento. Em Sydney, o índice referencial recuou 0,88 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.