coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Bolsas atingem máximas históricas

Dow Jones e Bovespa têm recordes de pontuação após ata da reunião do Fed; dólar, juros e risco Brasil caem

Paula Laier, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

10 de outubro de 2007 | 00h00

Embora a ata da reunião do Federal Reserve de 18 de setembro não tenha sido clara sobre o rumo dos juros nos EUA, as apostas no mercado futuro sugerem que o Fed poderá promover mais um corte da taxa na reunião no fim deste mês ou em dezembro. Por isso, o índice Dow Jones em Nova York terminou em patamar inédito aos 14.164,5 pontos (+0,86%). A Bovespa também renovou sua marca histórica intraday e bateu no final o 39º recorde de pontuação do ano, aos 63.548,7 pontos (+1,42%). Com o otimismo nas Bolsas e expectativas de fluxo financeiro positivo já que a espanhola OHL arrematou cinco dos sete trechos de rodovias federais leiloados ontem, o dólar à vista terminou na mínima na roda da BM&F, a R$ 1,8005 (-0,94%), e caiu 0,88%, a R$ 1,802 no balcão. O juro de janeiro 2010 recuou a 11,21%. E o risco Brasil cedeu 3,64%, para 159 pontos-base.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.