Bolsas caem com releitura do Fed

Investidor avalia o agressivo corte de juros nos EUA como sinal de que a situação é pior do que se imaginava

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

18 de dezembro de 2008 | 00h00

A euforia dos mercados com o corte de juros pelo Federal Reserve e com a mudança na política monetária nos EUA deu lugar, ontem, à releitura da decisão, que teve um tom negativo. Os investidores interpretaram a agressividade do Fed como sinal de que a situação é mais grave do que se imaginava. Como as notícias sobre bancos e empresas norte-americanas também não ajudaram, houve ajustes de posições que deprimiram os preços das ações em Wall Street. O índice Dow Jones perdeu 1,12%. Agora, os investidores aguardam medidas voltadas às montadoras e mutuários dos EUA. Volátil, a Bovespa foi influenciada pelo vencimento de opções sobre índice, mas também acompanhou o recuo das ações em Nova York. O Ibovespa caiu 0,12%, aos 39.947,43 pontos. O dólar à vista persistiu em queda, desta vez de 0,93%, a R$ 2,348 no balcão, amparada pelas perdas da moeda norte-americana ante o euro e o iene. Os juros futuros também cederam em meio a expectativas sobre a ata que o Copom divulga hoje, embutindo nos preços a possibilidade de que o ciclo de desaperto monetário no País comece em janeiro já com um corte da taxa Selic de até 0,75 ponto porcentual. A taxa de janeiro de 2010 declinou para 12,51%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.