Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas da Alemanha e dos EUA planejam fusão, diz revista

Nova entidade se tornaria a maior sociedade mercantil de securitização e derivativos do mundo

REUTERS

06 de dezembro de 2008 | 15h28

A operadora alemã de bolsa de valores Deutsche Boerse e sua contraparte em Nova York NYSE Euronext planejam se fundir para criar o maior mercado de ações do mundo, de acordo com uma revista alemã. A notícia, da respeitada revista semanal Der Spiegel, divulgada antes de sua publicação na segunda-feira, vem dois dias antes da reunião da diretoria de supervisão da bolsa alemã.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  A nova entidade se tornará a maior sociedade mercantil de securitização e derivativos do mundo em um período de turbulência sem precedentes para provedores e consumidores de serviços financeiros. "Uma fusão faria sentido. Eles poderiam operar mais globalmente com maior liquidez", afirmou o analista Wolfgang Gerke. Deutsche Boerse e NYSE Euronext criariam uma empresa na Holanda, a qual então faria uma oferta aos acionistas da Deutsche Boerse, disse a revista. Em um segundo passo, NYSE se fundiria com uma unidade norte-americana da entidade holandesa, disse a Der Spiegel, citando como fonte um "relatório interno" que ela disse ter sido apresentado pelo presidente-executivo da Deutsche Boerse, Reto Francioni, para a gerência do grupo. "Não temos nada a anunciar e, como política geral, não comentamos especulações", afirmou Deutsche Boerse em comunicado. A instituição informou estar "constantemente avaliando uma grande variedade de opções para aumentar o valor da companhia. Isso inclui contatos frequentes com quase todos os grandes participantes." Representantes da NYSE Euronext em Nova York não puderam ser contatados imediatamente para comentar o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSASFUSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.