Bolsas da Ásia ampliam ganhos com apetite maior por risco

As bolsas de valores da Ásia terminaram no maior patamar em dois meses nesta terça-feira. Moedas de rentabilidade maior saltaram em relação ao iene, conforme o plano de Washington de livrar os bancos de ativos tóxicos estimulou investidores a optar por ativos com mais risco.

ERIC BURROUGHS, REUTERS

24 de março de 2009 | 08h02

Os ganhos nos principais mercados asiáticos seguiram uma alta de 7 por cento no índice norte-americano S&P 500, também motivado por um avanço surpreendente nas vendas de moradias, que alimentou esperanças de que uma recuperação está a caminho no fragilizado setor imobiliário.

As ações do setor financeiro ampliaram os ganhos com investidores animados com o plano do Tesouro dos Estados Unidos de livrar os bancos de até 1 trilhão de dólares em dívidas hipotecárias e outros empréstimos podres, parte de um conjunto de medidas projetadas para destravar o crédito e a economia.

A retomada de investimentos de risco impulsionou moedas como os dólares australiano e neozelandês.

Conforme os mercados financeiros se estabilizaram, o nível de volatilidade diminuiu e tornou operações de carry trade mais atraentes.

O índice MSCI que reúne as principais ações europeias subia 1,73 por cento, elevando os ganhos para 28 por cento, contra a mínima em cinco anos atingida em novembro do ano passado.

Mas analistas permaneceram cautelosos sobre se a recuperação das ações é definitiva.

"A alta do mercado parece ser mais poderosa do que antes e pode durar no curto prazo, nós continuaremos cautelosos no médio prazo. Na Ásia, o fluxo de dados permanece muito sombrio", disseram estrategistas de mercado da Calyon em uma nota a clientes.

As moedas aisáticas dispararam e se recuperaram um pouco, à medida que investidores estrangeiros lentamente deslocaram capital de volta para região.

O indicador Nikkei, de TÓQUIO, saltou 3,3 por cento e fechou no patamar mais alto em dois meses. Mas a recuperação das ações mostrou alguns sinais de fraqueza.

O avanço de 21 por cento do Nikkei ante as mínimas alcançadas no começo deste mês atende à definição tradicional de um rali de mercado baixista. Alguns indicadores técnicos sugerem que a alta está perdendo força.

A bolsa de SYDNEY subiu 0,84 por cento, enquanto TAIWAN registrou valorização de 2,30 por cento e CINGAPURA ganhou 2,54 por cento.

O índice de XANGAI registrou alta de 0,56 por cento e o de SEUL avançou 1,85 por cento. HONG KONG teve valorização de 3,44 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.