Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas da Ásia avançam apesar de retração do PIB japonês

As bolsas de valores da Ásia terminaram em alta nesta quarta-feira, em sessão agitada. Investidores se mostraram relutantes em abandonar ações cíclicas, ainda que tenham reduzido suas posições nos setores financeiro e de matéria-prima após relatórios mostrarem que a construção de moradias nos Estados Unidos atingiu mínima recorde e o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão encolheu 4 por cento no primeiro trimestre.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

20 de maio de 2009 | 08h20

O dólar australiano e moedas de mercados emergentes registraram desvalorização, conforme investidores começam a se questionar quanto mais pode durar um rali de ativos de maior risco e de quase três meses, sem evidências de uma recuperação econômica sustentável.

Um importante índice da confiança do consumidor australiano também despencou em maio, apesar do avanço dos mercados acionários, abrindo caminho para operadores realizarem lucros.

"O apetite a risco tem prevalecido ultimamente, mas surgimento de sinais negativos por parte de recentes dados econômicos deve injetar alguma cautela", disse Patrick Bennett, estrategista do Société Générale, em Hong Kong, em uma nota.

O indicador Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, ganhou 0,59 por cento, apesar do sombrio relatório econômico, com as ações de companhias farmacêuticas e tradings em alta.

O PIB do Japão se retraiu 4 por cento no primeiro trimestre, conforme as exportações, a demanda doméstica e os investimentos encolheram, aproximadamente em linha com as expectativas do mercado.

O cenário é incerto, com alguns economistas esperando que os pacotes de estímulo econômico acelerem a recuperação, enquanto outros se preocupam que o colapso das exportações continue inibindo a já fraca demanda doméstica.

"A economia japonesa pode retornar ao crescimento temporariamente, mas pode sofrer uma contração novamente mais tarde", afirmou Hiroshi Shirashi, economista do BNP Paribas.

Às 8h14 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne as principais ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia ligeiros 0,09 por cento, após atingir o nível mais alto desde 6 de outubro na terça-feira.

O MSCI acumula ganhos de 50 por cento frente à mínima alcançada no início de março, mas como outros indicadores globais parece ter perdido força nas últimas sessões em meio a temores de que os mercados avançaram demais, muito rapidamente e sem sinais concretos de recuperação econômica.

A bolsa de SYDNEY subiu 0,19 por cento, enquanto TAIWAN teve alta de 0,72 por cento, CINGAPURA teve valorização de 0,39 por cento e SEUL de 0,52 por cento.

O índice de XANGAI recuou 0,94 por cento e o de HONG KONG caiu 0,39 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.