Bolsas da Ásia caem apesar da posse de Obama

Contínuos sinais de problemas no setor financeiro e dados econômicos preocupantes fizeram com que as principais bolsas de valores da Ásia recuassem aos patamares mais baixos em seis semanas nesta quarta-feira. Barack Obama torno-se presidente dos Estados Unidos na terça-feira, com uma mensagem de esperança e determinação que até o momento falhou em convencer investidores agitados. Um indicador de ações globais atingiu o patamar mais baixo desde 5 de dezembro nesta quarta-feira, trazendo as ações de volta ao nível menos valorizado dos últimos cinco anos e meio. "O foco agora está de volta na velocidade com que o governo Obama será capaz de implementar o esperado pacote de apoio econômico, e quanto tempo demorará para que os efeitos do pacote se reflitam na economia real", disse Kim Yong-kyun, analista de mercado do Daishin Securities, em Seul. "Investidores estão olhando muito friamente a realidade e estão muito sensíveis ao que está nas notícias, sendo que a confiança continua frágil", acrescentou Kim. O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caiu pela segunda sessão seguida, e fechou em desvalorização de 1,9 por cento. Mais cedo, o indicador atingiu anteriormente o nível mais baixo desde dezembro. O índice já acumula queda de 10 por cento em 2009. O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, perdeu 2 por cento, terminando com pontuação mais baixa em sete semanas. Entre outros importantes bolsas da região, SEUL fechou em baixa de 2,1 por cento, HONG KONG caiu 2,9 por cento e SYDNEY teve perda de 1 por cento. A bolsa de CINGAPURA se desvalorizou em 1,1 por cento, TAIWAN avançou 0,13 por cento e XANGAI caiu 0,46 por cento.

RAFAEL NAM, REUTERS

21 de janeiro de 2009 | 07h56

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.