Bolsas da Ásia caem com temores sobre economia

As bolsas de valores da Ásia despencaram nesta sexta-feira ao menor patamar desde o começo de dezembro, pressionadas por grandes perdas na Coreia do Sul, à medida que temores sobre a economia global e o setor financeiro levaram investidores a deixar ativos de risco. Em uma semana difícil para os mercados globais, o índice MSCI que reúne as principais bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão acumulou queda de 8 por cento. A baixa representa a pior desvalorização desde a queda semanal de 10 por cento verificada no final de novembro, quando o indicador atingiu a mínima em cinco anos. Às 8h10 (horário de Brasília), o índice recuava 2,8 por cento. A dificuldade dos mercados aponta que um dilúvio de pacotes de ajuda econômica --com medidas que variam desde o aumento dos gastos nos Estados Unidos até a compra total de débitos corporativos no Japão-- ainda precisa conquistar a confiança dos investidores. "O maior problema é que há poucos compradores no mercado. A tolerância de risco de investidores globais está caindo", disse Takashi Kamiya, economista-chefe da T & D Asset Management. "Mesmo países fortes como o Japão e os Estados Unidos estão expandindo seus gastos governamentais, mas a demanda de consumo não acompanhou devido à dívida dos consumidores, e isso impedirá que a economia se recupere." Em outro presságio negativo para exportadores da Ásia, que dependem da recuperação da economia norte-americana, as ações de instituições financeiras dos Estados Unidos alcançaram as mínimas dos últimos 17 anos, devido a temores de que possam ser nacionalizadas, refletindo preocupações sobre a estabilidade do setor. O Banco Central do Japão informou nesta sexta-feira que a deterioração dos lucros corporativos se intensificou, enquanto investidores também estão aflitos com a crise econômica nos países mais pobres do Leste Europeu. A Coreia do Sul, outro país que foi fortemente afetado pela crise, viu nesta sexta-feira o índice acionário KOSPI cair 3,7 por cento, para o menor fechamento em mais de dois meses. A moeda do país também retrocedeu pela nona sessão consecutiva em meio a temores de que os bancos domésticos terão dificuldade em acessar os mercados de capital estrangeiros. O indicador Nikkei, de TÓQUIO, fechou em queda 1,9 por cento, a 7.416 pontos, menor patamar desde 27 de outubro. A bolsa de SYDNEY recuou 1,35 por cento e XANGAI subiu 1,5 por cento. Já TAIWAN registrou baixa de 2 por cento. Em CINGAPURA, a bolsa recuou 2,1 por cento e HONG KONG teve desvalorização de 2,5 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.