Bolsas da Ásia caem por novo recorde do petróleo

As novas altas recordes do petróleopressionaram as principais bolsas asiáticas nesta quinta-feira,elevando os temores de que a inflação --e as medidas dos bancoscentrais para contê-la-- irá afetar os gastos do consumidor eos balanços. O petróleo negociado nos Estados Unidos se mantinha nopatamar dos 123 dólares o barril, perto do recorde de 123,93dólares o barril. O preço da commodity mais que dobrou em um ano pelacrescente demanda chinesa e de outros países emdesenvolvimento, colocando mais pressão em economias jáatingidas pela crise imobiliária, de crédito e aumento no custodos alimentos. O índice MSCI da Ásia Pacífico exceto Japão tinha queda de1,01 por cento, aos 487 pontos, pela manhã. As bolsas asiáticas acompanharam também a queda de WallStreet no overnight, na qual a queda das ações de bancos,construtoras e empresas dependentes do gasto do consumidorfizeram o Dow Jones cair 1,6 por cento. "O dilema para as economias globais é crescimentopotencialmente menor e pressões inflacionárias", afirmou GregGoodsell, estrategista de ações no ABN AMRO, na Austrália. "Será uma questão para os bancos centrais do mundoadministrarem com cautela porque eles tendem a sugerir reaçõespolíticas opostas em termos de taxas de juros". O índice Nikkei da bolsa de Tóquio teve queda de 1,13 porcento, para 13.943 pontos, com bancos como o Mitsubishi UFJFinancial Group figurando entre as maiores quedas. Na Coréia do Sul a queda foi de 0,32 por cento, a 1.848pontos. Em Cingapura o principal índice recuou 1,77 por cento, a3.171 pontos. Em Hong Kong a perda foi de 0,63 por cento, para 25.449pontos. Na contramão, a Austrália avançou 0,97 por cento, em 5.723pontos, ajudadas pelo setor bancário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.