Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsas da Ásia e dólar despencam; euro bate novo recorde

Após divulgação da ata do Fed, moeda americana cai ao menor nível em dois anos em relação ao iene

Carolina Ruhman, da Agência Estado,

21 de novembro de 2007 | 08h51

A queda das bolsas na Ásia aumentou a aversão ao risco e pressionou o dólar, levando o euro a um novo recorde em US$ 1,4856 e o dólar para o nível de 108 ienes pela primeira vez em mais de dois anos. A moeda norte-americana já estava enfraquecida diante das preocupações com o mercado de crédito e da divulgação da ata do Fed na terça-feira, 20, que foi lida pelo mercado como um sinal de que o BC norte-americano ficou mais apreensivo com o crescimento. A bolsa de Hong Kong fechou em baixa de 4,15%, a maior dos últimos dois meses. Na China, o Xangai Composto perdeu 1,5% e o Shenzhen Composto caiu 1%. A bolsa de Taiwan teve queda de 2,3%. Veja também:A taxa de juros dos EUA  Os efeitos da crise do setor imobiliário dos EUA   Mesmo tento recuperou parte das perdas na terça, o dólar continuava em desvalorização, com o euro acima do nível de US$ 1,48. "A queda nas ações está causando aversão ao risco e o desmonte de carry trades", disse Masanobu Ishikawa, da Tokyo Forex & Ueda Harlow, maior corretora de câmbio japonesa. O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio fechou em queda de 2,5% e as principais bolsas européias operavam em baixa de mais de 1% nesta manhã. O sentimento geral do mercado com relação ao dólar continuava negativo, afirmaram traders. A confiança dos investidores na economia dos EUA ainda não mostra sinais de recuperação, enquanto a ata da última reunião do FOMC deu aos traders a impressão de que o Fed se tornou mais preocupado com o estado da economia dos EUA. O aumento das apostas de que o Fed irá baixar os juros pela terceira vez para evitar que a economia caia em recessão pesou no dólar. Às 8h01 (de Brasília), o dólar caía 0,66% para 108,58 ienes e o euro cedia 0,88% para 160,81 ienes. Contra o dólar, o euro devolveu parte dos ganhos recentes e recuava 0,20% para US$ 1,4809, segundo informações de agências internacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
Fedaversão ao riscodólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.