Bolsas da Ásia e Oceania fecham em alta com ações contra crise

Hong Kong sobe 10,24%, Austrália 5,55%, Seul 3,79% e Xangai 3,65% no fechamento; Nova Zelândia cai 0,82%

Agências internacionais,

13 de outubro de 2008 | 05h44

As Bolsas da Ásia e da Oceania se recuperaram e fecharam o pregão em alta nesta segunda-feira, 13, com exceção da Nova Zelândia, após as novas medidas anticrise anunciadas pelo governo australiano e pelos governos europeus.   Bolsas européias operam em alta após anúncio de plano conjunto Santander negocia compra do grupo bancário Sovereign Europa vai garantir dívidas bancárias por até 5 anos Reino Unido vai resgatar seus 4 maiores bancos, diz jornal FMI apóia ajuda a bancos e pede ações 'audaciosas' Bolsa cai 20% em semana de pânico  Como o mundo reage à crise  Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira    O índice S&P/ASX200 avançou 220 inteiros, equivalentes a 5,55%, e se situou nos 4.180,70 pontos, para recuperar parte de da baixa dos 8,34% na sexta-feira, 10.   O setor financeiro foi o que mais influenciou as negociações, começando pelas ações do Banco Nacional da Austrália e ANZ, valorizadas cerca de 6%, a mesma porcentagem que as mineradoras BHP Billiton e Rio Tinto.   "Os bancos têm direcionado, definitivamente, a alta do mercado e é toda uma reação aos planos anunciados pelo governo federal", assinalou o diretor do EL&C Baillieu.   O primeiro ministro australiano, o trabalhista Kevin Rudd, anunciou no domingo, 12, que o Estado garantiria todos os depósitos bancários durante os próximos três anos, além de injetar 4 bilhões de dólares australianos (1,9 bilhões de euros ou 2,6 bilhões de dólares) em apoio ao mercado hipotecário.   Nesse sentido, foram confirmados todos os financiamentos das sociedades bancárias australianas no mercados internacionais.   O índice NZX50 do mercado financeiro neozelandês perdeu 22,92 pontos, equivalentes a 0,82%, e terminou o dia nos 2.782,39 ativos, segundo alguns analistas porque alguns investidores não sabem como funcionarão as medidas similares às da Austrália anunciadas pelo governo no último domingo.   Os mercados asiáticos também fecharam em alta. O índice Kospi da Bolsa de Valores de Seul encerrou em alta de 47,06 pontos (3,79%), aos 1.288,53, enquanto o indicador de valores tecnológicos Kosdaq subiu 17,89 pontos (5,11%), para 368,17 pontos.   Em Xangai, o índice geral somou 73 pontos (3,65%), aos 2.073,57. O volume de negócios foi de 41,943 bilhões de iuanes (US$ 6,144 bilhões), acima dos 38,454 bilhões de iuanes (US$ 5,627 bilhões) da sexta-feira.   O índice geral de Xangai caiu mais de 60% este ano e mais de 65% desde seu recorde histórico de há um ano, quando atingiu 6.092,06 pontos.   Em Hong Kong, a alta foi de 10,24%, enquanto Cingapura subiu 7,44% e Manila, 1%. A Bolsa de Tóquio não funcionou nesta segunda-feira porque é feriado no Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.