Bolsas da Ásia fecham em alta, na esteira de Wall Street

As bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira, ajudadas pelos ganhos registrados na véspera em Wall Street e pelo salto nos papéis de bancos e empresas de tecnologia. O índice Nikkei da bolsa de TÓQUIO encerrou o pregão em alta de 0,56 por cento, a 8.106 pontos, mas os agentes mantiveram um tom de cautela durante os negócios. "O governo dos Estados Unidos deve apresentar uma série de medidas econômicas a partir de agora e isso pode levar a um déficit financeiro e o dólar tenderá a ser vendido, e o iene pode ser uma aposta de segurança", afirmou Hiroaki Kuramochi, chefe de ativos da Tokai Tokyo Securities. As ações de bancos subiram depois de resultados encorajadores da American Express, embora a Nomura Holdings, a maior corretora do Japão, tenha caído mais de 2 por cento, depois de registrar um prejuízo trimestral recorde de 3,8 bilhões de ienes, em parte por conta dos custos de integração com as operações adquiridas do Lehman Brothers. O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico, que exclui o Japão, subia 2,34 por cento, às 7h22 (horário de Brasília), aos 226 pontos, na esteira dos ganhos registrados na véspera em Wall Street. As ações no mercado de Seul subiram no primeiro dia de negócios após os feriados do Ano Novo Lunar, puxados por fabricantes de chips, depois que a rival alemã Qimonda entrou com pedido de proteção contra falência. O índice da bolsa coreana subiu 5,91 por cento, puxado pelas ações da Samsung Electronics e da Hynix, que subiram 10 e 15 por cento, respectivamente, na expectativa de que a decisão da Qimonda vai ajudar a diminuir a fartura de chips no mercado. A bolsa de valores de SYDNEY teve ganho de 1,5 por cento, sustentada por bancos. As ações do grupo imobiliário Westfield Group e da fabricante de materiais para construção Boral caíram por conta de alertas sobre lucros. CINGAPURA registrou valorização de 4,8 por cento.

CHARLOTTE COO, REUTERS

28 de janeiro de 2009 | 07h36

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.