finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsas da Ásia fecham em baixa, com realização de lucros

As bolsas de valores asiáticas fecharam em baixa nesta segunda-feira, enquanto o dólar disparava para a máxima em três meses contra o iene após uma intervenção do Japão, com investidores realizando lucros após o rali da semana passada.

CHIKAKO MOGI, REUTERS

31 de outubro de 2011 | 07h56

O dólar chegou a subir mais de 4 por cento, para cima de 79 ienes, horas depois de cair à mínima recorde de 75,31.

O ministro das Finanças, Jun Azumi, disse que o Japão interveio de forma unilateral nos mercados de câmbio nesta segunda-feira, para conter oscilações especulativas que não refletem a saúde da economia do país.

Em Tóquio, o índice Nikkei teve baixa de 0,69 por cento, aos 8.988 pontos, mas ainda encerrou o mês com ganho de 3,3 por cento. Os investidores realizaram lucros, temendo que o iene não fique contido por muito tempo. A força persistente da moeda gera dúvidas sobre os resultados das empresas japonesas.

O índice MSCI das ações da região Ásia-Pacífico caía 1,52 por cento, mas fechava a melhor semana em quase três anos, com o plano anticrise da Europa gerando um amplo rali de alívio. Apesar da queda deste pregão, o índice ruma para alta de mais de 12 por cento em outubro.

Os mercados de Hong Kong e Xangai perderam 0,77 por cento e 0,21 por cento, respectivamente, com realização de lucro. Mas ambos os índices tiveram a maior alta em dois anoa e meio, por sinais de que Pequim esteja relaxando sua campanha de aperto monetário.

O índice de Seul encerrou em baixa de 1,06 por cento. A bolsa de Taiwan recuou 0,37 por cento. Cingapura retrocedeu 1,72 por cento e Sydney fechou com desvalorização de 1,27 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.