Coluna

Fabrizio Gueratto: como o investidor pode recuperar suas perdas no IRB Brasil

Bolsas da Ásia fecham no patamar mais alto em um mês

As bolsas de valores da Ásia fecharam no maior patamar em um mês nesta segunda-feira, após a confiança na saúde do setor bancário norte-americano ter estimulado uma ampla recuperação no apetite por risco dos investidores. Títulos da dívida de governo, tidos como mais seguros, também avançaram na esperança de novas compras por parte de bancos centrais.

ERIC BURROUGHS, REUTERS

16 de março de 2009 | 08h08

Os preços do petróleo caíram 1,87 dólar, para 44,38 dólares o barril, conforme participantes do mercado se perguntaram se a decisão da Opep de reforçar o cumprimento dos cortes na produção estipulados anteriormente será suficiente para compensar a queda na demanda global.

Na semana passada, bancos gigantes dos Estados Unidos como Citigroup, Bank of America e JPMorgan Chase informaram que obtiveram lucro nos primeiros dois meses do ano, dando um grande ânimo às abatidas ações do setor financeiro em todo o mundo.

Informações de que o Banco do Japão está avaliando comprar dívidas emitidas por bancos elevaram o índice Nikkei, de TÓQUIO, afastando-o ainda mais da mínima em 26 anos verificada na semana passada. O indicador fechou em alta de 1,8 por cento.

Os bônus do governo japonês também subiram após a divulgação notícias de que o Banco do Japão está preparado para aumentar compras mensais de dívidas.

A estratégia é uma das opções extremas de política que alguns bancos centrais, como o Banco da Inglaterra, adotaram para fortalecer economias enfraquecidas após terem reduzido a taxa de juro para perto de zero.

Durante o final de semana, ministros das Finanças e bancos centrais do G20 prometeram usar todos os meios fiscais e monetários para combater a crise econômica, mas as decisões tomadas focalizaram mais nos fundos para o FMI e na regulação dos fundos de hedge.

O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmou no domingo que vê a recuperação dos Estados Unidos começando em 2010, mas que o risco para a economia continua.

Às 8h02 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne as principais bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 2,03 por cento, conduzido pela firmeza das ações do setor financeiro.

"Os ganhos devem continuar, contando que as ações norte-americanas continuem em recuperação", disse Yoo Soo-min,

A bolsa de SYDNEY subiu 0,1 por cento, enquanto TAIWAN ganhou 1,51 por cento e CINGAPURA se valorizou em 0,56 por cento.

O índice de XANGAI registrou alta de 1,15 por cento e HONG KONG avançou 3,60 por cento.

Na contramão, as ações em SEUL recuaram 0,05 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.