Bolsas da Ásia fecham no vermelho por pacote dos EUA

As bolsas de valores da Ásia encerram os negócios desta quarta-feira em baixa, lideradas pelas ações dos setores de energia e finanças, diante do ceticismo em relação ao plano de Washington para ajeitar os bancos e que pode custar até 2 trilhões de dólares. Faltaram detalhes sobre o renovado plano de recuperação do Tesouro dos EUA, particularmente sobre como os ativos sem liquidez serão valorizados, o que fez com que investidores desapontados corressem para ativos mais seguros, depois que Wall Street amargou um mergulho de 4 por cento. O Senado dos EUA também aprovou na terça-feira o pacote de 838 bilhões de dólares que será utilizado para estimular a maior economia do mundo, mas a proposta ainda enfrentará uma série de negociações no Congresso que pode se arrastar até a próxima semana, adiando a transformação do pacote em lei. O índice acionário MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão perdia 1,63 por cento, para 233 pontos, por volta das 7h13 (horário de Brasília), marcando a segunda queda consecutiva. O mercado japonês esteve fechado por conta de um feriado público. Na COREIA DO SUL, o índice Kospi cedeu 0,72 por cento, para 1.190 pontos, com as ações do Shinhan Bank e Woori Bank entre as maiores perdas do indicador. Em HONG KONG, o índice Hang Seng tombou 2,46 por cento, para 13.539 pontos, interrompendo uma sequência de cinco sessões consecutivas de ganhos. O indicador chegou a perder 3,25 por cento ao longo da sessão. O índice acionário da bolsa de XANGAI encerrou a sessão com desvalorização de 0,19 por cento, aos 2.260 pontos, enquanto na AUSTRÁLIA, a bolsa perdeu 0,41 por cento, aos 3.474 pontos. Na contramão, a bolsa de TAIWAN fechou em alta de 1,10 por cento, aos 4.575 pontos, enquanto o índice acionário de CINGAPURA teve valorização de 1,1 por cento, aos 1.721 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.