Bolsas da Ásia recuam com petróleo acima dos US$ 145

Novo recorde no preço da commodity ameaça lucros de empresa e gastos do consumidor

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

04 de julho de 2008 | 08h24

As principais bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira, 13, com o novo recorde no preço do petróleo ameaçando lucros de empresa e gastos do consumidor. Enquanto isso, incertezas sobre as perspectivas econômicas após dados de postos de trabalho nos Estados Unidos impulsionaram bônus governamentais.   Veja também:  Petróleo fecha em nível recorde, a US$ 145,29 por barril  Saída de estrangeiro leva Bolsa a cair 3%  Preço do petróleo em alta A desfavorável combinação de fraco crescimento e alta inflação, conhecida como estagflação, fez com que muitos analistas reduzissem suas expectativas quanto ao desempenho das ações regionais e diminuiu o apetite ao risco dos investidores. "A Ásia está sofrendo com sua própria questão inflacionária. Esse é o ponto mais importante agora porque força a política monetária a ser mais rígida no momento em que o reflexo dos Estados Unidos está mais forte", afirmou Sanjay Mathur, economista no Royal Bank of Scotland, em Cingapura. Às 8h01 (horário de Brasília) o índice MSCI da Ásia Pacífico tinha queda de 0,21%, aos 117 pontos. O índice Nikkei da bolsa de Tóquio fechou com desvalorização de 0,21%, a 13.237 pontos, na décima segunda sessão consecutiva de perdas, a maior sequência em 54 anos. O índice MSCI da Ásia Pacífico exceto Japão tinha alta de 0,34%, e 414 pontos, depois de atingir seu pior nível em 10 meses na véspera. Na semana, o índice acumula queda de 4% e não têm uma semana positiva desde maio. O índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong teve força para subir 0,85%, em 21.423 pontos, com o Industrial & Commercial Bank of China entre os maiores ganhos depois que o maior banco da China apresentou uma boa perspectiva de lucros. A bolsa de Sydney avançou 1,68%, aos 5.082 pontos. Na Coréia do Sul, a bolsa de Seul recuou 1,78%, aos 1.577 pontos. Xangai caiu 1,24%, Taiwan se desvalorizou em 2,24% e Cingapura subiu 0,42%.

Mais conteúdo sobre:
BolsaÁsiapetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.