Bolsas da Ásia recuam com realização de lucro

As bolsas de valores da Ásia encerraram em queda em sua maioria nesta segunda-feira, pressionadas por investidores que realizaram lucros depois de ganhos recentes e depois de dados fracos de exportações do Japão e perspectivas pessimistas de empresas como a Toyota. O enfraquecimento do dólar e uma previsão de que cortes de produção por parte da Organização dos Países Exportadores do Petróleo (Opep) serviram de incentivo aos preços da commodity, depois que os preços na sexta-feira despencaram mais de 6 por cento por causa de temores sobre uma recessão econômica aprofundada. Os bancos centrais estão respondendo agressivamente à crise, com taxas de juros nos Estados Unidos e Japão perto de zero, o que ajuda a dar apoio a alguns bônus regionais nesta segunda-feira. "Existe uma boa quantidade de desmontagem de posições para o período do Natal. Muitas pessoas estão fora para o feriado", disse Lucinda Chan, diretora no Macquarie Equities. O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão operava em queda de 2,46 por cento às 7h51 (horário de Brasília), revertendo uma retomada que tinha feito o indicador subir 16 por cento sobre as duas semanas anteriores. Os mercados da região ainda enfrentam um ano ruim de perdas, em que o índice MSCI acumula queda de mais de 50 por cento. Dados desta segunda-feira mostraram que as exportações do Japão despencaram a um ritmo anual recorde em novembro. A montadora de veículos Toyota previu um prejuízo anual para o grupo de 150 bilhões de ienes. Se confirmado, o resultado será o primeiro prejuízo da história do grupo, segundo um jornal local. A mineradora Rio Tinto suspendeu operações em uma planta australiana por pelo menos três meses enquanto tenta lidar com crise econômica. A bolsa de TÓQUIO foi na contra-mão e fechou em alta de 1,6 por cento, no maior patamar em um mês depois que o Japão aderiu no sábado a movimento de governos mundiais e aprovou pacote de incentivos econômicos para lutar contra a recessão. SEUL recuou 0,11 por cento e HONG KONG teve baixa de 3,34 por cento. XANGAI teve caiu 1,5 por cento, TAIWAN se desvalorizou em 3,4 por cento e CINGAPURA encerrou em queda de 2,78 por cento. A bolsa de SYDNEY perdeu 1,61 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.