Bolsas da Ásia recuam com realização de lucros

As bolsas de valores da Ásia fecharam em baixa nesta sexta-feira, em uma ampla rodada de realização de lucros que inverteu os ganhos desta semana. Enquanto isso, um corte de recomendação do Japão por agência de classificação de risco deu motivo para investidores venderem papéis de empresas do país.

SAIKAT CHATTERJEE, REUTERS

28 de janeiro de 2011 | 07h56

O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão exibia queda de 0,56 por cento às 7h53 (horário de Brasília), a 476,19 pontos.

Dados que serão divulgados ainda nesta sexta-feira devem mostrar que a economia dos Estados Unidos ganhou velocidade no quarto trimestre, com a maior alta no gasto do consumidor em quatro anos oferecendo o mais claro sinal até agora de que uma recuperação sustentável está a caminho.

Na semana passada, as ações na Ásia caíram mais de 6 por cento, na maior baixa percentual em quase dois meses, depois que investidores se afastaram de mercados como Índia e Indonésia em meio a preocupações de que a inflação possa estar saindo de controle.

"Tivemos fluxos de bilhões de dólares em muito pouco tempo e há pressão para mais vendas depois de alguns ganhos desta semana", afirmou Markus Rosgen, diretor de estratégia no Citigroup.

"Com o Ano Novo chinês chegando, algumas pessoas estão preocupadas com liquidez dos mercados também", acrescentou Rosgen, referindo-se ao feriado do Ano Novo Lunar na próxima semana.

A bolsa de Tóquio fechou em queda de 1,13 por cento, a 10.360 pontos, em meio a preocupações sobre custos de empréstimo maior para companhias financeiras, depois que a Standard & Poor's reduziu a nota de crédito do Japão em um ponto.

Em Xangai, houve alta de 0,13 por cento, a 2.752 pontos. A bolsa de Seul teve desvalorização de 0,34 por cento e Hong Kong registrou perda de 0,68 por cento. A bolsa de Taiwan subiu 0,47 por cento, Cingapura apurou valorização de 0,31 por cento e Sydney caiu 0,65 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.