Bolsas da Ásia sobem com apostar em recuperação econômica

As bolsas de valores da Ásia terminaram em alta nesta terça-feira, último dia de um tórrido trimestre, com investidores intensificando os negócios baseados em uma recuperação na atividade econômica.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

30 de junho de 2009 | 08h20

Até agora neste ano, os mercados acionários chinês e indiano têm mostrado maior firmeza na região.

"Pode ser otimista demais, mas acho que o humor do mercado está mudando; acho que os dados econômicos que Estados Unidos e Japão estão esperando para o fim desta semana confirmarão que suas economias já atingiram o fundo do poço", disse Takashi Ushio, diretor da divisão de estratégia de investimentos do Marusan Securities.

O índice Nikkei, de TÓQUIO, fechou em alta de 1,8 por cento, a 9.958 pontos, conduzido pelas companhias do setor de tecnologia após o governo ter dito que investirá 30 bilhões de ienes (312 milhões de dólares) na fabricante de chips Elpida Memory.

O indicador japonês disparou 23 por cento nos últimos três meses, maior avanço trimestral desde 1995.

A bolsa de SYDNEY subiu 1,75 por cento, enquanto TAIWAN ganhou 0,64 por cento, CINGAPURA avançou 0,69 por cento e SEUL 0,12 por cento.

Na contramão, as ações em XANGAI recuaram 0,54 por cento e em HONG KONG perderam 0,81 por cento.

Às 8h12 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne as principais bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, subia 0,55 por cento, para 324 pontos.

Os mercados emergentes têm registrado os maiores ganhos até agora neste ano. O índice de ações dos mercados emergentes MSCI saltou mais de 32 por cento até agora em 2009.

Contudo, o terceiro trimestre pode ser um momento de ajuste caso os preços mais altos das matérias-primas apague sinais de uma recuperação nascente.

Nesta sessão, fundos reduziram apostas contra uma queda nos preços do petróleo, mantendo a commodity rumo ao maior avanço trimestral em 19 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
MERCADOSASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.