Bolsas da Ásia sobem com expectativa de ajuda de governos

As bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira, alcançando o patamar mais alto em um mês. Os negócios foram motivados por expectativas de que governos por todo o mundo ajudarão setores em dificuldades e implementarão medidas de estímulo diante da piora da crise econômica. A Casa Branca e os democratas do Congresso norte-americano chegaram a um acordo preliminar sobre um resgate às abatidas montadoras norte-americanas, fazendo com que os papéis de outras fabricantes de veículos, como Honda, subissem fortemente. As expectativas dos investidores na Ásia também envolvem medidas de ajuda tomadas por governos a setores estratégicos, como tecnologia. A mineradora global Rio Tinto foi foco ao anunciar planos para cortar gastos, demitir empregados e ampliar venda de ativos. A companhia informou ainda que vai manter dividendos estáveis. "O que estamos vendo neste momento pode ser uma reviravolta nas ações globais à medida que a liquidez nos mercados financeiros tem uma leve melhora, ajudadas pelas últimas ações tomadas pelos governos", disse Jun Ji-won, analista de mercado do Kiwoom.Com Securities em Seul. "Estabilização no câmbio também está ajudando." O índice MSCI das principais ações asiáticas com exceção do Japão operava em alta de 4,36 por cento às 8h06 (horário de Brasília), tendo chegado a atingir seu nível mais alto desde 12 de novembro. O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, teve valorização de 3,15 por cento. O indicador acumula valorização de 20 por cento após ter atingido nível mais baixo em 5 anos em 21 de novembro, mas ainda exibe queda de mais de 50 por cento no ano. A ajuda de governos pode se ampliar para além do setor bancário e chegar a outros setores da indústria. Em Taiwan, a fabricante de chips de memória ProMOS pediu assistência do governo, fazendo com que suas ações decolassem 6,5 por cento. A bolsa de valores de TAIPÉ subiu 4,2 por cento. A confiança dos consumidores australianos foi mais alta que o esperado em dezembro, seguindo fortes quedas na taxa de juro e ante¬recuo dos preços do petróleo, de acordo com dados desta quarta-feira. Na bolsa de SYDNEY, a valorização foi de 1%. Em HONG KONG e SEUL, os índices das bolsas subiram 5,6 por cento e 3,6 por cento, respectivamente, enquanto CINGAPURA teve valorização de 3,8 por cento. Em XANGAI, houve alta de 2 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.