Bolsas da Ásia sobem com possível ajuda a países da Europa

Tóquio (0,3%), Hong Kong (0,67%) e Xangai (1,1%) tiveram alta

Ricardo Criez e Hélio Barboza, da Agência Estado,

10 de fevereiro de 2010 | 09h11

As bolsas da Ásia fecharam em alta com os rumores sobre um possível pacote de resgate financeiro a países da Europa, enquanto na China os dados de exportação em janeiro e declarações otimistas sobre inflação dadas pelo presidente do banco central impulsionaram as ações.

 

A Bolsa de Tóquio fechou em leve alta, mas as ações reduziram os ganhos na medida em que os investidores ficavam cautelosos em relação a novos detalhes que possam surgir na quinta-feira, feriado nacional no Japão. O índice Nikkei 225 subiu 31,09 pontos, ou 0,3%, e fechou aos 9.963,99 pontos, depois de passar a maior parte da manhã acima dos 10 mil pontos.

 

A Bolsa de Hong Kong seguiu a alta das bolsas dos EUA e da China, sob a liderança dos papéis do HSBC e da petrolífera Cnooc. O índice Hang Seng avançou 0,67% e fechou aos 19.922,22 pontos. HSBC ganhou 1% e Cnooc avançou 2,9%.

 

Na China, as bolsas fecharam em alta depois que o banco central minimizou as preocupações com a inflação no país e os dados sobre a exportação em janeiro reforçaram a expectativa de que o comércio exterior continue a se recuperar neste ano. O índice Xangai Composto, que segue as ações A e B, terminou em alta de 1,1% e fechou aos 2.982,50 pontos. O Shenzhen Composto ganhou 1,5% e encerrou aos 1.117,40 pontos.

 

Segundo analistas, o Xangai Composto pode testar a resistência de 3.100 pontos nas próximas duas sessões depois da declaração do presidente do Banco do Povo da China (PBOC, na sigla em inglês, banco central do país), Zhou Xiaochuan. Num evento em Sydney, Xiaochuan disse que embora a inflação chinesa esteja subindo, ainda permanece num nível baixo. A China deve divulgar a inflação de janeiro nesta quinta-feira. Com a diminuição das preocupações acerca de um possível aperto monetário, as ações dos bancos lideraram os ganhos. Shanghai Pudong Development Bank subiu 1,3%, Shenzhen Development Bank avançou 1,3%.

 

No mercado de câmbio, o yuan caiu para seu menor nível diante do dólar em cinco meses, por causa da forte demanda pela divisa dos EUA antes do feriado do Ano Novo Lunar e dos dados sobre exportação em janeiro, mais fracos do que o esperado. Apesar da valorização desta quarta-feira, a expectativa de que Pequim mantenha sua política de yuan estável limitou a alta do dólar. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8302 yuans, de 6,8267 yuans do fechamento de terça-feira. Já a paridade central foi fixada em 6,8269 yuans por dólar, pouco alterada em relação aos 6,8271 yuans por dólar da terça-feira.

Na terceira sessão seguida de ganhos, a Bolsa de Taipé, em Taiwan, seguiu no encalço dos demais mercados regionais, com suspeita de compras por parte de fundos governamentais. O índice Taiwan Weighted subiu 1,1% e encerrou aos 7.441,84 pontos. Destaque para as ações da China Steel, com alta de 2,5%. TSMC baixou 0,3%. Por conta do feriado de ano novo, o mercado só reabre no dia 22.

 

Já na Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, os investidores andaram de lado. As incertezas sobre um possível pacote de resgate para a Grécia restringiram as compras. Por conta disso, o índice Kospi fechou estável, terminando aos 1.570,12 pontos. Entre os bancos, KB Financial Group adicionou 1% e Shinhan Financial Group faturou 2,1%. A siderúrgica Posco avançou 1%. Já Hyundai Motor desabou 2,2%.

 

Na Austrália, a Bolsa de Sydney seguiu sob tensão. Os ganhos do pregão da manhã acabaram atenuados pela falta de iniciativa na recompra de ações por parte da BHP Billiton e pelo pagamento de dividendos da Commonwealth Bank of Australia abaixo das expectativas. O índice S&P/ASX 200 fechou em elevação de 0,2%, terminando aos 4.513,4 pontos. Boral avançou 4,4%, enquanto Stockland ganhou 1,3%.

O índice PSE da Bolsa de Manila, nas Filipinas, subiu 2,1% e fechou aos 2.857,24 pontos.

 

A Bolsa de Cingapura terminou em baixa, uma vez que os investidores realizaram os lucros obtidos na terça-feira em meio a contínuas incertezas sobre as perspectivas econômicas globais antes do feriado do ano novo lunar. O índice Straits Times recuou 0,4% e fechou aos 2.734,39 pontos.

 

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, subiu 0,4% e fechou aos 688,41 pontos, encerrando 4 sessões de perdas, mas as negociações foram apáticas por conta de preocupações com as economias europeias e questões políticas locais.

 

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 0,2% e fechou aos 2.483,43 pontos, em ligeiras realizações de lucros em papéis relacionados a commodities e blue chips de bancos, em meio a preocupações sobre a tendência de instabilidade dos mercados de capitais globais

 

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 1,0% e fechou aos 1.246,17 pontos, puxado por ações de primeira linha, em especial do setor de construção e financeiras após divulgação de lucros. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas, Asia, fecha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.