Bolsas da Ásia sobem, mas temor de crise financeira continua

As principais bolsas asiáticasfecharam em forte alta nesta segunda-feira, ajudadas peloresultado do Citigroup, que reanimou investidores sobre aestabilidade do setor financeiro. Porém, o dólar recuou antesde novos resultados de instituições financeiras nesta semana. O preço do petróleo teve alta, mas ainda está 17 dólaresabaixo do recorde de 147 dólares o barril, uma queda que tambémdeu força a empresas exportadoras da região. Às 7h46 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúnemercados da região Ásia-Pacífico exceto Japão apresentava fortevalorização de 3,25 por cento, para 420 pontos, maior altadiária desde 25 de março. Contudo, analistas estão relutantes em apontar um fim naqueda global das ações pelo mundo, que acumulam desvalorizaçãode 20 por cento ante o pico do ano passado. Os especialistasafirmam que a manutenção da alta ainda depende muito de comoserão os lucros de bancos como o Bank of America e empresascomo Caterpillar e Honda Motors. "Ainda é prematuro dizer que a tendência de alta estávoltando", afirmou Alberto Hung, chefe de investimento noAlleron Investment Management, em Sydney. "Há algumas preocupações de que as previsões de crescimentopara o ano fiscal de 2009 ainda são muito altas, assim podemhaver revisões para baixo." O mercado japonês ficou fechado por conta de feriado local,reduzindo a liquidez do dia. Em HONG KONG, o índice Hang Seng fechou com alta forte de3,01 por cento, para 22.532 por cento, com o HSBC puxando aalta depois que o The Sunday Telegraph afirmou que um fundosoberano da China está em conversações para comprar ações dobanco no mercado aberto. A bolsa de SEUL disparou 3,51 por cento, puxada por ganhosem grandes empresas como a Samsung Electronics e a POSCO,quarta maior produtora de aço mundial. Na Austrália, a bolsa de SYDNEY teve alta também intensa de3,54 por cento, para 5.011 pontos. XANGAI se valorizou em 3 por cento, TAIWAN subiu quase 4por cento e CINGAPURA teve ganho de 2,51 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.