Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsas da Ásia terminam a semana em forte baixa com preocupação com coronavírus

Investidores evitam ativos mais arriscados, como ações, e buscam alternativas mais seguras, como os títulos do Tesouro dos EUA e a moeda japonesa

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2020 | 06h37

As Bolsas asiáticas fecharam em baixa acentuada nesta sexta-feira, 6, à medida que temores sobre o impacto da disseminação do coronavírus na econômica global levam investidores a evitar ativos considerados mais arriscados, como ações, e a buscar alternativas mais seguras, como os títulos do Tesouro norte-americano e ienes, a moeda japonesa

O índice acionário japonês Nikkei liderou as perdas na Ásia, com queda de 2,72%, influenciado principalmente por ações de siderúrgicas, que sofreram tombos de 4,3% a 7,5%.

Na quinta-feira, o Japão decidiu impor quarentena de duas semanas a turistas oriundos da China e da Coreia do Sul. O país tem mais de mil casos confirmados da doença, incluindo 706 infecções de um navio de cruzeiro que recentemente ficou em quarentena na costa japonesa.

No mundo, o coronavírus já infectou cerca de 95 mil pessoas e causou mais de 3.200 mortes, com a maioria dos casos concentrada na China, onde a doença teve origem, segundo os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em outras partes da região asiática, o Hang Seng caiu 2,32% em Hong Kong, o sul-coreano Kospi recuou 2,16% e o Taiex cedeu 1,68% em Taiwan.

Em meio à demanda por ativos mais seguros, o juro da T-note de 10 anos renovou mínimas históricas durante a madrugada, chegando ao patamar inédito de 0,779%. A moeda japonesa - o iene - se fortaleceu significativamente em relação ao dólar.

Na China continental, as perdas dos mercados acionários foram relativamente mais contidas. O Xangai Composto teve baixa de 1,21% e o menos abrangente Shenzhen Composite se desvalorizou 0,74%.

Na Oceania, a Bolsa australiana terminou o pregão no menor nível em 11 meses. O S&P/ASX 200 caiu 2,81% em Sydney, acumulando perdas de 13% desde a máxima histórica que atingiu em 20 de fevereiro.

Queda também na Europa

As Bolsas europeias abriram o pregão também em baixa - o avanço do coronavírus em países como Itália, Alemanha e Reino Unido compromete cada vez mais a perspectiva econômica. No começo desta manhã, a Bolsa de Londres caía 1,34%, a de Frankfurt recuava 1,58% e a de Paris se desvalorizava 1,55%. Milão, Madri e Lisboa tinham baixas de 2,06%, 1,82% e 2,05% respectivamente. / COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusbolsa de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.