Bolsas da Europa caem sob expectativa de fala do Fed

Principais índices foram puxados por companhias de petróleo, bancos e farmacêuticas

GABRIEL BUENO, Agencia Estado

21 de setembro de 2011 | 14h43

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em queda hoje, puxadas por companhias de petróleo, bancos e farmacêuticas, em um clima de expectativa antes do anúncio de política monetária do Federal Reserve (Fed),o banco central dos Estados Unidos, previsto para as 15h15 (pelo horário de Brasília). Também afetaram as bolsas os temores em relação às finanças da Grécia. O índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 1,65%, fechando em 225,33 pontos.

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou em queda de 1,40%, em 5.288,41 pontos, com as perdas se acelerando perto do fim da sessão. O pequeno progresso na questão das finanças da Grécia afetou as cotações, em um cenário de expectativa ante o anúncio do Fed. Os papéis da Inmarsat caíram 6,9%, após a redução da recomendação das ações da empresa. Os papéis da Rio Tinto recuaram 4,2%.

Já o CAC 40, da Bolsa de Paris, encerrou em queda de 1,62%, em 2.935,82 pontos, também sob o efeito pré-anúncio do Fed. A Vivendi recuou 3% com a notícia de que a pretendida fusão entre Canal+ e TPS foi cancelada por um órgão regulador da França. Société Générale caiu 1,3%, e BNP, outro 1,8%. Crédit Agricole recuou 2,4%. As companhias do setor automobilístico também tiveram perdas, com Peugeot recuando 5,7% e Renault, 3,8%.

Em Frankfurt, o DAX 30 caiu 2,47%, para 5.433,80 pontos. Pesou no mercado alemão a expectativa com o Fed, além dos temores em relação à crise da dívida europeia. RWE recuou 5%, Deutsche Boerse, 4,3% e Deutsche Post, 3,8%. A Allianz caiu 3,7%, depois de o UBS retirar a companhia de sua lista de ações "preferidas". No setor automobilístico, Volkswagen recuou 2,6% e Daimler, 3,8%.

O Ibex 35 da Bolsa de Madri fechou em queda de 1,82%, aos 8.210,30 pontos. A Inditex, dona da Zara, avançou 1% com o anúncio de que a empresa registrou lucro no primeiro semestre. As ações da Telefónica recuaram 1,8% e as do Santander, 2,5%. Na contramão, a Bolsa de Lisboa subiu 0,38%, para 6.096,15 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.