Yonhap/South Korea Our/EFE
Yonhap/South Korea Our/EFE

Bolsas da Europa e Nova York caem em dia de realização de lucros; Ásia sobe

Índices registraram perdas após a maratona de indicadores positivos sobre as economias chinesa e americana; setor de turismo ajudou no otimismo do mercado da China

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2021 | 17h40

As Bolsas de Europa e Nova York fecharam em queda nesta segunda-feira, 19, realizando lucros após a divulgação de dados fortes das economias chinesa e americana e com os investidores atentos ao noticiário sobre a pandemia. Na Ásia, a altas ecxpectativas sobre turismo na China ajudou nos negócios.  

Na Alemanha, segue como preocupação o avanço local do novo coronavírus, enquanto o país vive a expectativa de um novo lockdown ser decretado pelo governo federal para conter as infecções. Segundo estimou o banco central alemão, a economia do país deve ter encolhido no primeiro trimestre de 2021.

Sobre a vacinação, o mercado acompanhou um novo episódio do imbróglio entre a União Europeia (UE) e a AstraZeneca, farmacêutica britânica que assinou contrato com o bloco para a entrega de doses de vacinas contra a covid-19 até 30 de junho. O comissário de Mercados Internos da UE, Thierry Breton, deu a entender que o acordo com a AstraZeneca pode não ser renovado, em entrevista a uma emissora francesa.

Já na China, os investidores esperam o crescimento das viagens para o país nos próximos meses. De acordo com a Chasing Securities, o setor de turismo deve crescer à medida que mais chineses forem vacinados contra a covid. "Espera-se que os turistas da China façam 200 milhões de viagens durante o feriado de cinco dias do Dia do Trabalho, em maio, tornando-o o mais movimentado de todos os tempos", diz a corretora.

Bolsas de Nova York

Os índices americanos passaram por uma realização de lucros, após a divulgação de dados fortes da economia americana. Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq caíram 0,36%, 0,53% e 0,98% cada. Na contramão, o dia foi de valorização para o mercado de títulos do Tesouro dos EUA, "concorrente" direto dos índices acionários. O rendimento do papel com vencimento para dez anos avançou 1,594%, enquanto o com vencimento de trinta anos teve ganho de 2,294%.

Bolsas de Europa

O índice pan-europeu Stoxx 600, que concentra as principais empresas da Europa, fechou em queda de 0,07%, enquanto a Bolsa de Londres cedeu 0,28%, a de Frankfurt caiu 0,59%, Milão baixou 0,21% e Lisboa recuou 0,08%. Na contramão, Paris teve ganho de 0,15% e Madri teve forte alta de 1,14%.

Bolsas da Ásia

Os índices chineses de XangaiShenzhen subiram 1,44% e 2,44%, a Bolsa de Hong Kong subiu 0,46%, enquanto as de SeulTóquio tiveram ambas altas de 0,01%.  Na Oceania, a bolsa australiana avançou 0,03%.

Petróleo

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta hoje, em sessão marcada pela desvalorização do dólar ante pares, tornando a commodity mais barata para detentores de outras divisas. Ainda de acordo com a Dow Jones Newswires, a commodity energética também recebeu suporte de relatos sobre interrupções na produção do óleo na Líbia, que podem ajudar na diminuição da oferta do insumo no mercado.

O barril do WTI com entrega prevista para junho avançou 0,38%, a US$ 63,43, enquanto o do Brent para o mesmo mês subiu 0,42%, a US$ 67,05. /MAIARA SANTIAGO, EDUARDO GAYER, GABRIEL CALDEIRA E MATHEUS ANDRADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.