Bolsas da Europa fecham em alta puxadas por balanços positivos

Bons resultados corporativos ajudaram a compensar leitura fraca de atividade regional dos EUA

Agência Estado,

21 de abril de 2011 | 14h05

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta, em sua maioria, impulsionados pelos resultados corporativos positivos divulgados até o momento, fator que ajudou a compensar a leitura fraca de um índice de atividade regional nos EUA. As ações de bancos tiveram um desempenho particularmente forte.

O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 fechou em alta de 1,41 ponto, ou 0,51%, a 280,47 pontos. Em Paris, o CAC 40 avançou 17,26 pontos, ou 0,43%, para 4.021,88 pontos. O Xetra DAX, da Bolsa de Frankfurt, teve ganho de 46,30 pontos, ou 0,64%, para 7.295,49 pontos. Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB subiu 308,25 pontos, ou 1,43%, para 21.810,70 pontos. Em Madri, o IBEX 35 fechou em alta de 48,70 pontos, ou 0,46%, para 10.584,10 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 recuou 16,35 pontos, ou 0,21%, para 7.597,44 pontos.

Na Bolsa de Londres, o FTSE 100 caiu 3,96 pontos, ou 0,07%, para 6.018,30 pontos, pressionado pelo declínio nos papéis do BT Group, que recuaram 1,7% depois de a Suprema Corte britânica ter desconsiderado a maior parte das queixas da companhia em relação à Lei de Economia Digital. A  Vodafone também pesou sobre o índice, fechando em queda de 4,3% após um tribunal indiano determinar que a empresa não tem direito de contestar a união da Essar Telecommunications, sua parceira em uma joint venture, com a India Securities.

Os papéis de bancos estavam entre os destaques da sessão, com Barclays subindo 1,5% em Londres e o UniCredit avançando 4,5% em Milão. Segundo Heino Ruland, estrategista da Ruland Research, os investidores podem estar liquidando posições vendidas antes do fim de semana prolongado para evitar ficarem expostos a qualquer eventual problema na Grécia. A maioria dos mercados europeus não funcionará na sexta-feira e na segunda-feira por causa de feriados.

Ruland disse também que as companhias europeias até o momento apresentaram resultados razoáveis, mas que o setor industrial, particularmente o alemão, deve apresentar um desempenho ainda forte devido ao aumento nas vendas para China, Índia e outros mercados emergentes. "As ações da Alemanha devem continuar apresentando um desempenho acima da média porque estamos falando de economias em crescimento com as quais outros países da Europa quase não negociam", avaliou.

As ações da Akzo Nobel subiram 4% depois de o grupo anunciar um aumento de 58% no lucro líquido do primeiro trimestre na comparação com igual período do ano anterior. No setor de químicos, a Lanxess fechou em alta de 3,8% e a Linde avançou 2,4%, enquanto a Givaudan teve ganho de 4%.

A Nokia subiu 0,4% depois de divulgar resultados mais fortes do que o previsto para o primeiro trimestre. No setor de hotelaria, a Accor recuou 4% depois de divulgar um aumento de 5,8% nas vendas do primeiro trimestre. O número, no entanto, deixou alguns investidores decepcionados.

Entre as montadoras, as ações da Fiat fecharam em alta de 4,5% depois de a companhia anunciar que vai elevar sua participação na Chrysler de 30% para 46%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
europabolsasbalanços positivos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.