Bolsas da Europa fecham no azul; bancos são destaque

Ações das instituições financeiras lideraram ganhos com  redução de temores em relação à situação da dívida da Grécia

GABRIEL BUENO, Agencia Estado

23 de setembro de 2011 | 14h21

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta hoje, recuperando perdas ao longo da sessão para terminar no positivo. As ações de bancos lideraram os ganhos, após comentários de formuladores de políticas comprometidos em manter a estabilidade financeira reduzirem os temores sobre a situação da dívida da Grécia.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,60%, aos 216,19 pontos. Na semana, porém, o Stoxx 600 recuou 6,07%. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 subiu 0,50%, fechando em 5.066,81 pontos. Barclays subiu 5,1%, e Lloyds, outros 5%. Na comparação semanal, esse índice teve variação negativa de 5,62%.

O índice DAX 30, da Bolsa de Frankfurt, ganhou 0,63%, para 5.196,56 pontos. Na semana, o DAX 30 recuou 6,76%. Bayer teve alta de 7,1%, após a Agência Europeia de Medicamentos recomendar o uso mais amplo do anticoagulante Xeralto. Os papeis do Deutsche Bank ganharam 5,6% e MAN, 5%. As ações da Adidas avançaram 2,8% com a divulgação de resultados trimestrais melhores do que o esperado.

Já em Paris, o CAC 40 subiu 1,02%, chegando a 2810,11 pontos. BNP Paribas avançou 9,8%, Société Générale terminou em alta de 8,8% e Crédit Agricole subiu (4,%. Na comparação com a sexta-feira anterior, o CAC 40 perdeu 7,29%. Esses três mercados se recuperaram ao final de perdas que registraram durante a sessão, com um ganho substancial após investidores encontrarem conforto no fato de o Banco Central Europeu (BCE) poder tomar ações para lidar com a crise da dívida na região, se necessário.

Traders disseram que o BCE retomará as operações de liquidez de 12 meses e possivelmente comprará bônus no mercado secundário para aliviar as tensões no sistema financeiro. "O BCE está relutantemente tomando um papel mais ativo no apoio ao sistema bancário, e será interessante ver como isso se desenvolve ao longo das próximas semanas", disse Gavan Nolan, diretor de pesquisa de crédito da Markit. Como resultado, as ações dos bancos se recuperaram, apoiadas também por declarações do presidente do Banco Central da Alemanha, Jens Weidmann, de que o BCE cumprirá com suas responsabilidades para fornecer ao sistema bancário a liquidez que ele necessite.

Na Itália, o índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, fechou em alta de 1,36%, para 13.114,95 pontos. O banco Intesa Sanpaolo avançou 6,1%, e o UniCredit subiu 4,4%. Na semana, o FTSE MIB fechou em -9,85%. O Ibex 35, da Bolsa de Madri, avançou 2,12%, para 7.996,90 pontos. O setor bancário teve ganhos substanciais, com BBVA, Santander e Bankinter subindo 5,3%, 4,6% e 1,9%, respectivamente. Na comparação com a sexta-feira anterior, o Ibex 35 fechou em -4,67%. A exceção do dia foi a Bolsa de Lisboa, onde o PSI 20 fechou em baixa de 0,98%, em 5.721,63 pontos. Brisa-Autoestradas de Portugal recuou 2,16%. Na semana, o PSI 20 teve variação de -6,92%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.