Bolsas de Lima e Bogotá são as mais rentáveis da América

Segundo estudo da Economática, esses mercados acumularam as maiores altas desde setembro de 2001

EFE,

10 de setembro de 2009 | 15h27

As Bolsas de Lima e Bogotá foram os mercados da América que acumularam as maiores altas desde os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, indica um estudo divulgado nesta quinta-feira, 10, pela empresa de consultoria Economática.

 

A mesma pesquisa mostrou ainda que, por outro lado, os indicadores das bolsas americanas foram os mais prejudicados.

 

De 10 de setembro de 2001 a 9 de setembro deste ano, o Índice Geral da Bolsa de Valores de Lima (IGBVL) acumulou uma alta de 978,9%. No mesmo período, o IGBC, da Bolsa de Bogotá, subiu 965,8%.

 

A análise da Economática levou em conta o movimento das principais bolsas de toda a América, com exceção das do Canadá.

 

Depois das Bolsas de Lima e de Bogotá, as mais rentáveis foram as da Venezuela (604,4%), Buenos Aires (552,6%), México (396,9%), São Paulo (385,7%) e Santiago (164,3%).

 

Em contrapartida, os indicadores dos Estados Unidos foram os que pior desempenho tiveram entre todos os que foram analisados, segundo a empresa de consultoria.

 

O índice da Nasdaq, por exemplo, acumulou uma alta de apenas 21,5%. Já o Dow Jones, principal índice de Wall Street, e o S&P 500, que agrupa ações de 500 empresas, acumularam, respectivamente, quedas de 0,6% e 5,4%. EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.