Bolsas de Londres e Paris têm alta com otimismo para 2010

Índices da região acompanham o tom exibido em bolsas asiáticas e nos indicadores futuros de Nova York

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

31 de dezembro de 2009 | 08h50

O último pregão parcial do ano nas principais bolsas europeias que operam hoje é de leve alta, acompanhando o tom exibido na Ásia e nos futuros de Nova York. Os investidores vislumbram o ano de 2010 com um grau de confiança na recuperação econômica, mas o volume de negócios é bem pequeno.

 

Às 8h24 (de Brasília), a Bolsa de Londres operava em alta de 0,07% e Paris subia 0,12%. As duas praças encerram o pregão mais cedo, às 10h30 (de Brasília). A Bolsa de Frankfurt não opera hoje.

"Os investidores podem olhar para trás nos últimos 12 meses e respirar aliviados. O sistema financeiro global se estabilizou, ajudando a evitar uma depressão, uma vez que a maioria das classes de ativos começou a sentir os efeitos da intervenção de políticas extraordinárias coordenada no segundo trimestre", disse Geoffrey Yu, do UBS. "Os riscos permanecem em 2010, mas a economia mundial está de volta do precipício."

 

Mais evidências da normalização das condições econômicas vieram hoje com a divulgação de que os preços de moradias no Reino Unido subiram pelo oitavo mês consecutivo em dezembro, segundo dados da Nationwide Building Society. O preço de uma residência típica avançou 0,4% em base sazonalmente ajustada em dezembro ante novembro. Em relação a dezembro de 2008, a alta é de 5,9%. Mas os preços ainda estão 12,2% abaixo do pico de outubro de 2007.

 

Nos mercados de câmbio, o euro opera em leve alta frente ao dólar, uma vez que os poucos ganhos nos mercados acionários impulsionam o apetite por risco. Às 8h33 (de Brasília), o euro subia 0,23%, a US$ 1,4404. O dólar avançava 0,03%, a 92,38 ienes.

A alta do euro beneficia o ouro spot, que voltou a ser negociado acima da marca de resistência de US$ 1.100 a onça troy. No horário acima, o ouro subia 0,54%, a US$ 1.104,30.

 

As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
mercados, bolsas, Londres, Paris

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.