Bolsas de NY abrem em alta, ponderando Boeing e Ambac

Investidores pesam resultado positivo da Boeing e negativo da financeira Ambac no mercado norte-americano

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

23 de abril de 2008 | 10h38

As bolsas de Nova York abriram em leve alta nesta quarta-feira, 23, com os investidores colocando na balança, de um lado, o resultado positivo da Boeing no primeiro trimestre e, do outro lado, o prejuízo da seguradora Ambac Financial Group. O setor de tecnologia pode ganhar impulso com o lucro do Yahoo! acima do esperado, mas as ações da companhia caíram no pré-mercado, já que o balanço não deve ajudar a melhorar a oferta de aquisição da Microsoft.  Veja também:Delta Airlines tem prejuízo de US$ 6,4 bi no 1º trimestreFinanceira dos EUA anuncia grandes perdas e bolsas caemUBS vai reduzir unidade de banco de investimento após criseCronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos   Às 10h30 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,16%, o Nasdaq avançava 0,62% e S&P 500 0,18%. Por aqui, a Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta, mas inverteu o sinal e operava em queda de 0,07%, aos 65.365 pontos. No primeiro trimestre, a Boeing registrou aumento de 38% em seu lucro líquido, para US$ 1,21 bilhão ou US$ 1,62 por ação. As receitas subiram 4,1% para US$ 15,99 bilhões. Analistas esperavam lucro de US$ 1,35 por ação e receitas de US$ 16,52 bilhões. Assim como outros conglomerados globais, a Boeing conseguiu compensar a desaceleração doméstica com sua presença internacional, lembraram analistas. No pré-mercado, as ações subiram 2,7%. Já a Ambac Financial Group, segunda maior seguradora de bônus dos EUA, registrou prejuízo de US$ 1,66 bilhão, ou US$ 11,69 por ação, comparado a um lucro líquido de US$ 213,3 milhões, ou US$ 2,02 por ação, no mesmo período do ano passado. A média das estimativas de analistas consultados pela Thomson Reuters era de prejuízo de US$ 1,51 por ação. As ações da seguradora despencaram 19% no pré-mercado. Quem também pode segurar uma alta das bolsas é a seguradora de saúde WellPoint, que caiu 21% no pré-mercado após registrar declínio de 25% no lucro líquido do primeiro trimestre. No setor de tecnologia, o Yahoo! informou na terça à noite um lucro líquido de US$ 542 milhões (US$ 0,37 por ação) no primeiro trimestre, salto de 282% na comparação com igual período do ano passado, quando o grupo lucrou US$ 142 milhões (US$ 0,10 por ação). Mas analistas disseram que o resultado não foi forte o suficiente para a empresa brigar por uma oferta maior de aquisição da Microsoft. Outras ações que devem ser destaque, em meio à publicação dos balanços trimestrais, são Delta Airlines, EMC e Schering-Plough. As ações da Delta Airlines caíram 4,4% no pré-mercado, depois de informar que seu prejuízo líquido subiu para US$ 6,39 bilhões no primeiro trimestre, de um prejuízo de US$ 130 milhões no mesmo período do ano passado. A companhia registrou baixa contábil de US$ 6,1 bilhões relacionados à depreciação das cotações de suas ações desde que saiu da concordata no ano passado. Os papéis da EMC saltaram 5,2% com a elevação de 14% em seu lucro liquido para US$ 268,8 milhões ou U$ 0,13 por ação no primeiro trimestre. Excluindo custos relacionados a aquisições e outros itens, o lucro foi de US$ 0,23 por ação. As receitas avançaram 17% para US$ 3,47 bilhões. Analistas previam lucro de US$ 0,16 por ação e receitas de US$ 3,45 bilhões. Já as ações da Schering-Plough Corp subiram 2,1%, mesmo após anunciar queda de 48% em seu lucro líquido do primeiro trimestre. O lucro líquido foi para US$ 291 milhões ou US$ 0,15 por ação.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAMercados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.