Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas disparam após plano de Obama

Investidor deu voto de confiança ao presidente eleito dos EUA e conta ainda com ajuda às montadoras do país

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

09 de dezembro de 2008 | 00h00

Os investidores iniciaram a semana com apetite por risco e deram impulso às bolsas pelo mundo todo assim como aos preços das commodities. A animação foi alimentada pela promessa do presidente eleito dos EUA, Barack Obama, de um megapacote de investimentos em infra-estrutura para tentar tirar o país da crise e gerar pelo menos 2,5 milhões de empregos. O mercado também aposta que o Congresso norte-americano vai aprovar uma ajuda para garantir a sobrevida das principais montadoras até março. As medidas anunciadas para fortalecer a economia da Índia agradaram, e um novo pacote na China não é descartado. Por isso, as bolsas tiveram fortes ganhos na Ásia, Europa, Estados Unidos e São Paulo. A Bovespa subiu 8,31%, aos 38.284,91 pontos, e passou a acumular valorização em dezembro, de 4,62%. Contudo, no ano a queda ainda é de 40,07%. No mercado de juros, a semana do Copom começou com interrupção das quedas vistas desde o início do mês. O juro de janeiro de 2010 ficou em 13,19%; e a taxa de janeiro de 2012 subiu a 13,68%, em meio a especulações de que a pressão política poderá pesar sobre a decisão do Copom nesta sexta-feira. Na contramão externa, o dólar subiu ante o real 1,05%, a R$ 2,50.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.